Analisando a tecnologia Flex Rio Branco, Acre

Entenda quais são as vantagens do sistema bicombustível. Examine a expansão da comercialização de carros com tecnologia Flex. "A possibilidade de escolha de combustível passou a ser uma realidade no mercado nacional e se estendeu a todas as outras montadoras nacionais", destaca o autor.

Marcelo Drago (me)
(68) 3223-1154
av Getúlio Vargas, 1110, Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
A. Carneiro de Lima Epp
(68) 3224-2124
tr Rio Branco, 541, Cerâmica
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
R. N. G. de Araújo - Me
(68) 3228-6133
r Dourados, 465, Conquista
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Carlos A S Araújo Me
(68) 3227-6160
r Isaura Parente, 882, Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
R O Nascimento Me
(68) 3026-2247
av Nações Unidas, 3528, Estação Experimental
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
José Ferreira da Silva Me
(68) 3224-9742
r Valério Magalhães, 64, Fds, Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
C & H Ltda-Me
(68) 3028-3731
r Pernambuco, 883, Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Edson Medeiros da Silva
(68) 3229-2008
tr Serra, s/n, Sn, Tropical
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Rogério de Oliveira
(68) 3026-1468
av Nações Unidas, 1278, Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Retífica e Auto Peças Ribeiro Ltda
(68) 3221-4678
r Cunha Matos, 1661, Seis de Agosto
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Analisando a tecnologia Flex

Fornecido por:



Em março de 2003, a Volkswagen apresentava o primeiro veículo de produção em série com sistema bicombustível. Na época, a novidade dividiu opiniões em função da sua eficácia, economia e manutenção. Em questão de meses, no entanto, a possibilidade de escolha de combustível passou a ser uma realidade no mercado nacional e se estendeu a todas as outras montadoras nacionais: Chevrolet, Fiat, Ford, Toyota, Honda, Nissan, Mitsubishi, Citroën, Peugeot e Renault.

Atualmente, a situação é praticamente irreversível; aproximadamente 90% dos carros novos licenciados no País possuem o sistema que permite o abastecimento de álcool ou gasolina, em qualquer proporção. Ou seja, se você nunca teve, é bem provável que ainda vá ter um carro flexível em sua garagem. E essa vantagem não se estende só a automóveis de passeio; veículos maiores, como picapes, monovolumes e SUV´s já oferecem blocos flexíveis.

A maior vantagem, com certeza, está na economia no bolso do consumidor que trafega em regiões onde o álcool vale até 70% do preço da gasolina. Desvantagens também existem. Em alguns modelos, por exemplo, ainda existe a dificuldade em fazer o motor entrar em funcionamento quando a temperatura está baixa, mesmo com o tanque de partida a frio, quando abastecido com álcool. Todos os carros bicombustíveis, com exceção da versão E-Flex do VW Polo, utilizam o “tanquinho”. O compartimento é usado para armazenar gasolina utilizada durante a partida do motor em temperaturas inferiores a 17ºC, em média.

Mesmo anos após a apresentação da tecnologia, o sistema flex ainda provoca dúvidas nos usuários, principalmente no que diz respeito à manutenção do motor e da economia de combustível em relação à utilização do álcool. De qualquer forma, a tecnologia está consolidada no País, é exportada para a Europa e já foi estendida, inclusive, ao segmento das duas rodas.

Clique aqui para ler este artigo na Feirão Do Carro Usado