Aprendendo a escrever Rio Branco, Acre

Saiba como melhorar a escrita. Flávia Soares ensina como escrever cartas, documentos e outras modalidades de texto. Estimule a sua concentração e criatividade, compreenda a metodologia que facilita a expressão e a objetividade das suas idéias.

Bene Pintor
(68) 229-3481
r Universitário III, 22
Rio Branco, Acre
 
Saerb Serv Água e Esgoto Rio Branco
(68) 223-6100
r Sobral, Sobral
Rio Branco, Acre
 
Hildeberto as Irmão
(68) 224-4943
r Rio de Janeiro, Floresta
Rio Branco, Acre
 
Deas Dpto Estadual Água e Saneamento
(68) 224-6224
av Brasil, 672, Base
Rio Branco, Acre
 
Saerb Serv Água e Esgoto Rio Branco
(68) 223-6958
r Floriano Peixoto, 938, Centro
Rio Branco, Acre
 
Saerb Serv Água e Esgoto Rio Branco
(68) 225-8754
av Brasil, 480, sl 2, Base
Rio Branco, Acre
 
Brindando Brindes
(68) 228-7477
r Primeiro de Agosto, 410, Placas
Rio Branco, Acre
 

Aprendendo a escrever

Primeiramente, lembremos que as pessoas que se deram bem como escritores tiveram condições favoráveis para isso, ou seja, nasceram no lugar certo, viveram no país certo e o destino, que por alguma razão, os levaram a ser o que foram e o que são. Uma vez ouvi alguém dizer que Machado de Assis dizia que a biblioteca era a sua casa. Isso aconteceu, porque um dia alguém lhe apresentou uma (Graças a Deus!!). Se ele não tivesse escrito Memórias Póstumas de Brás Cubas, não faço idéia de quem teria! É engraçado e ao mesmo tempo sério, um pouco imoral, doente... Deixa pra lá! A discussão aqui é tentar dar dicas de como escrever relativamente bem, já que quem vos fala nunca escreveu um trabalho científico de grande valia. É como comparar qualquer modelo com a Gisele Buindchen! Mas...

Ah!!!

Vamos às dicas:

1ª) Tome bastante água e coma carboidratos. É isso mesmo que você ouviu! Água e carboidratos. O cérebro humano é composto de 70% de água e, mesmo que não pareça, ele consome muita energia (que provém do carboidrato) para realizar qualquer atividade cognitiva. Entender um assunto não é questão de inteligência, mas de raciocínio, portanto, seja amigo do seu cérebro e ele te agradecerá!

2ª) A leitura: Todo texto para ser escrito depende de várias leituras feitas anteriormente tanto de livros, quanto das leituras de mundo, da convivência com pessoas que moram em locais diferentes, que pertencem a diferentes faixas etárias, etc. Tudo, absolutamente tudo, irá influenciar em suas futuras leituras e, conseqüentemente, na sua escrita. Imagine que você está lendo um conto de fadas, por exemplo: “Branca de Neve e os Sete Anões” e quando chega a hora da bruxa má dar a maçã envenenada para a Branca de Neve você imagina a maçã vermelha, porque por influências externas, vindas de filmes, de ilustrações e do conto oral, você acredita que a maçã é vermelha, mas não poderia ser verde? É para se pensar! Contos de fadas foram passados por décadas de pais para filhos, portanto as modificações no conto original e suas reais intenções contidas em cada palavra tiveram grandes alterações.

Este é um exemplo bem ridículo, mas é isso que acontece quando lemos um texto. Somos influenciados pelo que conhecemos e ligamos os fatos, depois, quando há uma informação desconhecida, nossa mente sempre tentará ligar o desconhecido ao conhecido fazendo o possível para não nos deixar perdidos no meio da leitura. Se essa ligação não acontecer, perguntamos a alguém que tem outros conhecimentos de mundo ou vamos ao dicionário.

Essas redes de conhecimento feitas pela mente não são imóveis, por isso cada vez que você ler um livro, um artigo ou um conto você terá maior enriquecimento de conhecimento e, mesmo que não pareça, quando houver necessidade de escrever um texto os argumentos fluirão. Haverá assunto! Já viu algum texto sem assunto?

3ª) Agora, se te falta concentração ou paciência para ler qualquer coisa que tenha mais de duas páginas, aí vai um exercício de concentração: Em um ambiente tranqüilo e com poucos ruídos, escolha um ponto qualquer e olhe fixamente. Tente não pensar em nada por 5 minutos, mas, se pensar, volte ao começo. É chato, mas é necessário. Faça isso uma vez por dia aumentando sempre que possível o tempo. É um exercício bem legal, mas se não conseguir, não fique com raiva e nunca tente quebrar o objeto em que você está se concentrando. Ele não tem culpa!!

4ª) Nunca confie somente no que você sabe e nem em suas opiniões como verdades absolutas. Não quer dizer que o nosso pensamento é errado, mas estarmos abertos a outras opiniões e outras vivências faz com que ele se modifique e não nos deixe parados no tempo. É uma forma de melhoramento pessoal e isso será refletido em tudo que for escrito por você.

5ª) Vamos pegar um exemplo simples de uma produção de textos para a 5ª série que é para não complicar demais:

Suponhamos que você queira escrever uma carta cujo enunciado fosse:

A escola fica longe do bairro onde você mora e o transporte para chegar até lá todos os dias é muito caro. Todos os estudantes da comunidade já reclamaram, porém você também quer fazer alguma coisa. O que fazer? Como aluno dessa escola, escreva uma carta para o prefeito da cidade explicando a situação do transporte para chegar até lá, o que os alunos precisam e o que o prefeito pode fazer para resolver essa situação. Use bons argumentos para convence- lo a atender sua solicitação.

O primeiro passo é ler bem devagar o enunciado e identificar os enunciadores que, no caso, é você se posicionando como estudante de uma escola que fica longe da casa da maioria dos jovens que estudam lá. Já que você irá reclamar sobre os preços das passagens de ônibus, você será o enunciador e aquele que irá ouvir (ou ler) suas reclamações será o enunciatário - o prefeito da cidade.

Se posicionando como um “enunciador reclamão”, você acabou descobrindo também o propósito com o qual a carta será escrita. Agora, cumpri-lo é outra coisa! Tente deixar claro para o leitor a posição em que você está, sua visão sobre o problema para se chegar á escola e o que você acha que o prefeito pode fazer. Dessa forma, chegamos á argumentação: É exatamente sustentar essa posição a partir de argumentos coerentes, com exemplos de municípios que apóiam os estudantes, entre outros que serão escolhidos de acordo com a sua vivência. Os argumentos são a parte mais importante do texto, pois devem influenciar o leitor a concordar com a sua opinião, pois se isso não acontecer de nada adiantará respeitar um gênero textual, escrever bem com todas as regras ortográficas e com coesão se você não cumpre o propósito usando argumentos bem construídos.

6ª) Não se esqueça de respeitar o gênero textual. A carta é composta de 4 partes: local, data e ano; enunciatário que dependendo da posição social ocupada por ele na sociedade você deverá usar uma linguagem formal como: “prezado”, “caro”... Agora, se for um amigo, chame-o como quiser!

A terceira parte é o desenvolvimento da carta em que deverá aparecer o enunciador se posicionando de acordo com os propósitos do texto, utilizando argumentos coerentes, respeitando a coesão, a escrita, etc (corresponde aos tópicos citados acima). Por último, a definição clara do enunciador: a sua assinatura e que lugar você ocupou na sociedade ao escrever a carta.

7ª) A dica mais importante!!! Não tenha medo de escrever mesmo que você e os outros não te considerem bom nisso. A opinião dos outros importa se a crítica for construtiva, caso contrário desconsidere tudo o que te deixa desmotivado. Ninguém nasceu sabendo, mas todos se construíram a cada dia com persistência e paciência. Nascer em um lugar legal, ter condições favoráveis e uma ajuda do destino é sempre bom, porém a decisão de conseguir qualquer coisa é sua!!

 

Flávia Soares da Silva

Clique aqui para ler este artigo na Artigonal.Com