Aprendendo a ser um excelente professor Rio Branco, Acre

Educadores competentes necessitam, sem dúvida alguma, de condições mínimas de trabalho. O professor consciente da sua importância para o mundo trabalha feliz. Leia este artigo e saiba da importancia do profissional da educacao.

UFAC
(68) 3901-2571
rdv BR-364, 4000, Km 4, Dis Industrial
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
M. S. Pre-vestibular Ltda
(68) 3224-0726
r Venezuela, 658, Cerâmica
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Faculdade Barão do Rio Branco
(68) 3213-7070
rdv BR-364, 2000, Km 2, Dis Industrial
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Instituto de Ensino Superior do Acre
(68) 3244-1282
tr Ponta Pora, 100, Capoeira
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Faculdade da Amazônia Ocidental
(68) 2106-8200
etr Dias Martins, 894, Ch Ipê
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
SESI - Serviço Social da Indústria - AC
(68) 3212-4200
av Nações Unidas, 3727, Estação Experimental
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Sociedade Educativa Acreana Ltda
(68) 3026-1717
av Getúlio Vargas, 1268, An 2 Sl 202, Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
SENAI - Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial
(68) 3223-3678
av Epaminondas Jacome, 1260, Base
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
R. L. P. dos Santos - Me
(68) 3221-2301
r Deodoro,Mal, 236, 2 An, Centro
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
A F Carneiro
(68) 3224-1946
r Bartolomeu Bueno, 163, Cs, Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Aprendendo a ser um excelente professor

Ser professor é gratificante; ainda mais quando os nossos alunos têm um bom aproveitamento. Ser professor é contribuir para o futuro de muitos. O professor consciente da sua importância para o mundo trabalha feliz, e procura dar tudo de si em prol do futuro dos seus alunos. Ele investe pesado em pesquisa, projetos e formação continuada, pois reconhece as suas fragilidades e deficiências e busca romper barreiras em busca de uma aprendizagem contínua. Ser professor é desgastante, porque o professor apesar de saber sua importância, ele sabe que é mal remunerado e tendo que lecionar em 2 ou 3 escolas; fica difícil para ele dar uma aula de qualidade. Falta tempo para pesquisar, planejar suas aulas e, assim detectar as dificuldades dos seus alunos. O professor precisa ser valorizado, incentivado a crescer, a buscar novas técnicas para transformar a sua prática diária. O professor deve ser bem remunerado, para ter mais tempo de planejar suas aulas, e encontrar soluções para diminuir às dificuldades de aprendizado dos seus alunos. Professor valorizado é professor feliz e estando feliz ganha ânimo para estudar e crescer intelectualmente e como profissional.

Segundo SAVIANI (1986, p. 73-76), "ser cidadão significa ser sujeito de direitos e deveres. Cidadão é, pois, aquele que está capacitado a participar da vida da cidade literalmente e, extensivamente, da vida da sociedade (...); ser cidadão significa, portanto, participar ativamente da vida da sociedade moderna, isto é, da sociedade cujo centro de gravitação é a cidade".

De acordo com o mesmo autor, a educação escolar instrumentaliza o sujeito para o exercício consciente (direitos e deveres) da cidadania, na medida em que esta - a Escola - deve democratizar como já explicitada anteriormente, com qualidade e quantidade, para todos, os conhecimentos acumulados historicamente pela humanidade.

Educadores competentes necessitam, sem dúvida alguma, de condições mínimas de trabalho; dentre elas, a questão salarial é ponto de partida para qualquer discussão de propostas que visem melhorar o ensino brasileiro.

É na sala de aula e por intermédio da competência docente que o educador escolar -professor - vai fazer a mediação ("entrar no meio") competente (crítica, criativa...)

entre os educandos e os conteúdos curriculares, construindo, assim, de forma sistemática e intencional, a aprendizagem de conhecimentos, atitudes e habilidades nos educandos.

A competência docente é, portanto, uma elaboração histórica continuada. Um eterno processo de desenvolvimento, no qual o educador, no cotidiano do seu trabalho, no exercício consciente de sua prática social pedagógica, vai revendo, criticamente, analisando e reorientando sua competência ("saber fazer bem"), de acordo com as exigências do momento histórico, do trabalho pedagógico e dos seus compromissos sociais, enquanto cidadão -profissional - educador.

Isto significa colocar um fim a uma concepção de competência docente inata ("dom"), estática, fechada e acabada, estimulando, nos educadores, uma atitude de busca contínua de aperfeiçoamento do seu processo de desenvolvimento pessoal (cidadania) e profissional (trabalho).

Como em qualquer profissão as atualizações são importantes, pois todos os dias a sociedade evolui,sofre modificações, os valores alteram-se, e um professor, mesmo dando a matéria que era lecionada á 20 anos atrás não pode utilizar a mesma linguagem, o mesmo método de ensino, a mesma pedagogia, tem de fazer trabalho de pesquisa diário... Estando atualizadas com os fatos diários, transpondo-os para a sala de aula, e em termos de técnicas, as aulas deixaram de serem monólogos, passando a espaços ativos!
 O professor deve comprar revistas e livros da sua área, para atualizações dos progressos científicos, se for de línguas, lerem novos autores, atualizar-se das mudanças linguísticas, alterações do dicionário, conhecer a linguagem dos jovens, por exemplo, em termos escritos.

O presente texto teve como principal objetivo discutir, sem, contudo esgotar, a formação continuada de professores no cotidiano da Escola fundamental, especificando o papel do diretor neste processo. Procurou-se também contextualizar a questão da formação do educador em serviço, no panorama mais amplo da democratização do ensino.

A questão da competência docente foi abordada como mediação importante no processo de ensino e aprendizagem, evidenciando-se o fato de os professores não terem condições financeira, nem tempo para ter formação continuada de qualidade.

 Esta realidade abre um espaço importante para algo mais amplo, que seria uma Política para a Formação do Educador em Serviço, que, por sua vez, seria traduzida em programas e ações diversificados, atendendo assim os anseios dos educadores escolares.

Dentre outras possibilidades, desde que se resolva, com urgência, a questão salarial dos profissionais do Magistério e ofereçam-se condições gerais básicas para um trabalho pedagógico que, de fato, contribua para a formação da cidadania do homem brasileiro.

Rosângela da Glória Santos

Nascida no norte de minas gerais; cidade de janaúba. Sou cantora, compositora, educadora. Tenho me dedicado nos últimos 4 anos ao estudo da Pedagogia,Teoria musical e Prática vocal. O meu intuíto é passar um pouco do que venho aprendendo para a grande maioria dos estudantes que; buscam na internet informações para enriquecer os seus conhecimentos.

Clique aqui para ler este artigo na Artigonal.Com