Aprendendo dicas para concursos públicos Rio Branco, Acre

Este artigo fala de como voce deve estudar para conseguir passar nos concursos publicos. Veja tecnicas de aprendidazem normal ou acelerada. Entre neste artigo e veja como conseguir passar nos concursos.

R. L. P. dos Santos - Me
(68) 3221-2301
r Deodoro,Mal, 236, 2 An, Centro
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Sociedade Educativa Acreana Ltda
(68) 3026-1717
av Getúlio Vargas, 1268, An 2 Sl 202, Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
SESI - Serviço Social da Indústria - AC
(68) 3212-4200
av Nações Unidas, 3727, Estação Experimental
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Faculdade da Amazônia Ocidental
(68) 2106-8200
etr Dias Martins, 894, Ch Ipê
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Instituto de Ensino Superior do Acre
(68) 3244-1282
tr Ponta Pora, 100, Capoeira
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
M. S. Pre-vestibular Ltda
(68) 3224-0726
r Venezuela, 658, Cerâmica
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
SENAI - Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial
(68) 3223-3678
av Epaminondas Jacome, 1260, Base
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
A F Carneiro
(68) 3224-1946
r Bartolomeu Bueno, 163, Cs, Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Faculdade Barão do Rio Branco
(68) 3213-7070
rdv BR-364, 2000, Km 2, Dis Industrial
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
UFAC
(68) 3901-2571
rdv BR-364, 4000, Km 4, Dis Industrial
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Aprendendo dicas para concursos públicos

Todos os anos, órgãos públicos, empresas particulares no Brasil e exterior realizam concursos e processos seletivos para o preenchimento dos seus quadros. Muitos candidatos têm a doce ilusão de que os “mais competentes” serão os escolhidos. Acreditam que aqueles dotados de uma inteligência superior e capacidades especiais conseguirão o tão sonhado emprego seguro e um alto salário. Nada pode ser tão enganoso. A realidade é bem outra.

Os concursos públicos não são realizados para escolher os mais competentes ou mais inteligentes. Na verdade, eles são apenas um mecanismo democrático para selecionar pessoas que ocuparão as vagas existentes num dado momento. É quase uma espécie de loteria do emprego. São poucas vagas para milhões de candidatos. Quem acerta mais questões consegue o prêmio disputado. Os grandes concursos provam isso. Esse quadro não será mudado no futuro. Com a escassez de oportunidades, mais e mais candidatos disputarão vagas nas universidades e nos cargos públicos.

Se isso é verdadeiro, qual a saída? O que fazer para obter o tão desejado lugar ao sol? Estudar muito? Fazer cursinhos? Sim, estas podem ser soluções, mas e o tempo? Como arranjar tempo e dinheiro para fazer tais cursinhos? A verdade é que, pelo fato de ambos serem recursos escassos, apenas uns poucos privilegiados estão conseguindo obter esses bens tão desejados. A melhor solução portanto, é buscar os atalhos. Eles podem ajudar a resolver os problemas com a falta de tempo, que parece ser um dos grandes entraves para aqueles que necessitam ler e aprender compêndios volumosos das mais diferentes áreas do Direito, bem como encurtar a distância que os separa dos superdotados e abençoados pela sorte.

Os atalhos de que estamos falando são técnicas de aprendizagem (normal ou acelerada) que ajudam a fixar e recuperar informações em seu cérebro quando chegar o momento da prova. Isso porque é muito provável que você nunca mais lerá sobre os temas escolhidos num edital de concurso. Grande parte do conteúdo programático jamais será usado na atividade profissional do candidato aprovado. Assim sendo, tudo quanto você precisa saber é: o que provavelmente cairá em sua prova ou o que provavelmente não cairá.

Os concursos, avaliações, testes e provas tradicionais requeridas nos cursos do ensino médio e superior têm demonstrado ao longo dos anos que são em sua maioria, péssimas formas de avaliar-se os conhecimentos teórico-práticos de uma pessoa. Na última instância, servem apenas para saber quem tem uma boa memória ou não. É o famoso efeito de uma aprendizagem automatizada, voltada apenas para se valorizar a recuperação de informações, sem levar-se em conta a relevância do conhecimento, a capacidade de usar inteligentemente essas informações, etc. Estamos falando do famoso e velho conhecido “decoreba”, onde ganha mais pontos quem lembrar mais.

Infelizmente, poucas são as entidades responsáveis pela elaboração de concursos que tentam de fato avaliar os candidatos, para selecionar aqueles cujos conhecimentos estejam mais próximos do perfil desejado pelo cliente (neste caso, o órgão público ou empresa privada) que oferece as vagas.

De nada adianta, portanto, chorarmos ou lamentarmos que seja assim. Espera-se que um dia as pessoas sejam selecionadas por suas capacidades reais em resolver problemas, capacidade criativa e outras qualidades importantes, e não apenas pela capacidade de acumular bilhões de informações que nunca usarão na vida. Devemos, dessa forma, buscar os atalhos para superar as limitações e vencer a concorrência. Nesse caso, a utilização dos macetes, aqui chamados de “segredos”, que não são em absoluto “secretos” e desconhecidos, serão armas poderosas para alcançar a vitória desejada. Precisamos, na verdade, sistematizar o que já se conhece em termos de aprendizagem e colocar em prática estes conhecimentos para obter resultados satisfatórios.

Numa guerra, vencerá sempre quem possuir as melhores estratégias de combate. Não importa quem possua as armas mais poderosas, importa o modo de usá-las. Na batalha para vencer um concurso ou lograr êxito numa prova acadêmica, as estratégias devem ser o preparo antecipado, a capacidade de articular as informações e organizá-las no cérebro e, finalmente, saber responder adequadamente ao que é solicitado.

Não é de todo descabido compararmos um concurso público, seja um vestibular ou um outro para obter um emprego muito disputado, a uma batalha. Enfrentaremos concorrentes. Por vezes temos 20, 50, 100 ou mesmo mil pessoas disputando uma só vaga, bem como indivíduos treinados, com grande experiência profissional, múltiplas graduações e pós-graduações. A competição é acirrada. Os que estiverem mais bem-preparados vencerão a disputa.

É importante descobrir como obter uma preparação adequada para enfrentar a concorrência. Trabalhar com dicas práticas, por meio das quais você poderá vencer em praticamente qualquer concurso... desde que tenha tempo suficiente para estudar e se preparar. Ninguém disse que seria fácil. A única coisa garantida aqui é que, se você colocar em prática os principais segredinhos dos vencedores nas disputas intelectuais, com certeza alcançará as sua metas e logrará êxito em provas, exames e concursos de qualquer natureza.

Mathias Gonzalez

Mathias Gonzalez, brasileiro e naturalizado australiano, autor de 132 livros dedicados à filosofia, psicologia e educação.
-> Psicólogo clínico, organizacional e escolar.
-> Pós-graduado em Psicopedagogia.
-> Especialista em Educação a Distânci.
-> Mestre em Gerontologia;
-> Mestre em Tecnologia de Comunicação e Informação.

Clique aqui para ler este artigo na Artigonal.Com