Aumente a produtividade de sua lavoura Rio Branco, Acre

Aprenda a interpretação da análise do solo nas calagens. A análise do solo é o principal ítem para quem quer obter alta produtividade em suas lavouras. Somente corrigindo a acidez e repondo os nutrientes.

A. Palu Junior
(68) 3224-1998
r Quintino Bocaiúva, 1452, Bsq
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
I. J. Schaefer -me
(68) 3228-4088
av Getúlio Vargas, 3242, Vl Ivonete
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Cometa Restaurante Ltda
(68) 3224-2115
r Quintino Bocaiúva, 223, Centro
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Elcimar F. Ferreira
(68) 3223-3857
etr Usina, 1321, Aviário
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
D Lago
(68) 3026-2495
r Rubens Carneiro, s/n, Sn, Abrahão Alab
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
D. M. S. Borges - Me
(68) 3226-6655
av Nações Unidas, 2123, Estação Experimental
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
F. Junior Vieira de Oliveira
(68) 3026-1046
r Deodoro,Mal, 159, Sl 244, Centro
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
E. C. Vieira - Me
(68) 3223-3857
r Hugo Carneiro, 227, Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
F . Moura Felix - Me
(68) 3227-7182
r Rio de Janeiro, 1564, Floresta
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
J. Felix Ferreira
(68) 3026-1037
r Rio de Janeiro, 1854, Qd D 9 Cs 2, Base
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Aumente a produtividade de sua lavoura

A análise do solo é o principal ítem para quem quer obter alta produtividade em suas lavouras. Somente corrigindo a acidez e repondo os nutrientes, além de outras práticas agrícolas como o uso de sementes certificadas, combate às pragas e doenças, cuidados na colheita, etc... é que podemos alcançar boas produções nas lavouras. É claro, se o clima ajudar.
Na 1ª parte do assunto “interpretação de análise do solo” comentamos como interpretar a análise aliada às recomendações de calagem e fertilizantes.
Vamos abordar nesta postagem a calagem. Esta prática da calagem é importante para “matar” a acidez do solo. Quem vai nos dizer a quantidade que devemos usar é a análise do solo.
1° PASSO
Teremos que ter em mãos os seguintes índices encontrados ou não no resultado da análise do solo: V%, T, m%, teores de Ca, Mg e K, teor de Al e (H+Al), valor S (soma de bases), teor de argila do solo e PRNT do calcário. Se a análise não apresentar todos eles, teremos que calculá-los.
Seja uma análise de solo que apresenta os seguintes resultados:
pH em água – 4,4; pH em CaCl2 – 4,0
P (Mehlich) – 1 mg/dm3 ; P (resina) = 6 mg/dm3
K = 25 mg/dm3 ; Ca = 0,8 cmolc/dm3; Mg = 0,2 cmolc/dm3
Al = 1,6 cmolc/dm3 ; (H+Al) = 5,2 cmolc/dm3
Cálculo da soma de bases – S = Ca+Mg+K
ADVERTÊNCIA:
a soma de bases é expressa em cmolc/dm3. Na análise acima o Ca e Mg estão expressos em cmolc/dm3. O K está expresso em mg/dm3. Para calcular S os elementos devem estar expressos da mesma forma, em cmolc/dm3.
Portanto temos que transformar os 25 mg/dm3 de K em cmolc/dm3.
A expressão mg/dm3 é o mesmo ppm que significa “partes por milhão” = 1.000.000 g de solo.
Então, 25 mg/dm3 de K ------------------- 1.000.000 g de solo
X ----------------------------- 100 g

X= g K = 100 x 25 / 1.000.000 = 0,0025 g de K

Pode-se usar a tabela II para achar este resultado bastando multiplicar os 25 mg/dm3 de K por 0,0001 = 0,0025
Agora devemos transformar 0,0025 g de K em cmolc/dm3
A fórmula a ser usada é:
Cmolc = Peso Atômico em g/Valência/1.000 A valência do K = 1
Logo, 1 cmolc K = 39 / 1 / 1.000 = 0,039 g/dm3 K
1 cmolc K -----------0,039 g K
Y ---------------- 0,0025 g K
Y = 0,0025 x 1 / 0,039 = 0,06 cmolc/dm3 K
Portanto, 25 mg/dm3 K = 0,06 cmolc/dm3 K

S = 0,8+0,2+0,06 = 1,06 cmolc/dm3
CTC efetiva (t) = S + Al = 1,06 + 1,6 = 2,66 cmolc/dm3
% saturação Al (m%) = 100 x Al / t = 100 x 1,6 / 2,66 = 60,15%
CTC a pH 7,0 (T)
= S + (H+Al) = 1,06 + 5,2 = 6,26 cmolc/dm3
% Saturação de Bases da CTC a pH 7,0 (V%)
= 100 x S /T
V% = 100 x 1,06 / 6,26 = 16,93% (solo de muito baixa fertilidade)
% Saturação de ácidos da CTC a pH 7,0 (M%) = 100-V logo M=100 - 16,93 = 83,07 %

2° PASSO
De posse dos dados do passo anterior estamos aptos a calcular a necessidade de calcário específica para cada estado conforme as fórmulas que apresentamos a seguir.
No Rio Grande do Sul e Santa Catarina , a Comissão de Química e Fertilidade do Solo publicou uma tabela para recomendação de calcário e adubação para diversas culturas destes Estados. A calagem é baseada no índice tampão SMP.

No Paraná a necessidade de calagem baseia-se no valor da porcentagem de saturação por bases (V%). A recomendação é aplicada em solos que apresentam V% menor que 50% procurando atingir 60%. A fórmula a ser aplicada é a seguinte:
NC (t/ha) = T (V2-V1)f / 100
NC significa necessidade de calcário em t/ha;
T = capacidade de troca de cátions. Como vimos em postagem do dia 12/04/2009 a fórmula é a seguinte: T = S + (H+Al)
V2 = 60% (valor que buscamos)
V1 = valor V na análise. Pode ser calculada, também, V = 100 x S/T
f = 100/PRNT
Pelos dados que já calculamos teríamos:
NC (t/ha) = 6,26 (60 – 16,93) x 1,25 /100 = 3,37 t/ha.
Calcário com 80% de PRNT, logo f = 100/80 = 1,25

No Mato Grosso do Sul é recomendada a calagem quando a porcentagem de saturação por Al (m%) for maior que 10%. No nosso exemplo m= 60,15%
NC (t/ha)= Al x 2 x f
NC (t/ha)
= 1,6 x 2 x 1,25 = 4 t/ha

Em São Paulo aplica-se calcário para elevar o valor V a 70%. A fórmula de cálculo é a mesma usada no Paraná.
NC (t/ha)= T (V2 – V1)f / 100 . Onde V2 será 70 e V1 o encontrado no resultado da análise.
NC (t/ha) = 6,26(70 – 16,93) x 1,25 / 100 = 4,15 t/ha
O teor de Mg deve ser elevado a um valor mínimo de 5 . Daí a escolha de um calcário magnesiano ou dolomítico.

Nos Estados de Goiás, Minas Gerais e Bahia , a calagem é recomendada em função do teor de argila. Para solos argilosos (mais de 20% de argila) a fórmula é:
NC (t/ha) = [(Al x 2) + 2 – Ca+Mg)] x f
NC (t/ha)
= [1,6 x 2) + 2 – 0,8+0,2)] x 1,25 = 5,25 t/ha
Em solos arenosos , em que o teor de argila é menor que 20%, usam-se duas fórmulas de cálculo e escolhe-se a que apresentar maior quantidade.
NC (t/ha) = (Al x 2)x f e NC (t/ha) = [2-(Ca+Mg)] x f
NC (t/ha)
= (1,6 x 2) x 1,25 = 4 t/ha
NC (t/ha)
= [2-(0,8+0,2)] x 1,25 = 1,25 t/ha
Escolhe-se a maior quantidade: 4 t/ha.

Clique aqui para ler este artigo na Agronomia Com Gismonti