Café Orgânico: Uma boa pedida Brasília, DF

Cultura de vanguarda, o café foi a primeira grande cultura a ser convertida para o manejo orgânico. Pudera, pois a demanda por consumo de café orgânico é elevada. Além disso, já dotamos de tecnologia de produção adequada ao cultivo de café em manejo orgânico. Leia mais no artigo abaixo.

Centro de Treinamento Esgrima Brasília
(61) 3242-5497
Sces Tr 1, s/n, lt 3
Brasilia, DF

Dados Divulgados por
Haná Japanese Food
(61) 3242-7331
CLS 408 BL B, Lj 35
Brasilia, DF

Dados Divulgados por
Dragon King
(61) 3328-4030
SCN Q 5 BL A, Brasília Shopp Lj 223
Brasilia, DF

Dados Divulgados por
Fuji sushi
(61) 3224-6255
SCS Q 7 BL A, Lj 64
Brasilia, DF

Dados Divulgados por
Cantina Da Massa
(61) 3226-8374
CLS 302 BL A, Lj 4
Brasilia, DF

Dados Divulgados por
Cafe Cancun
(61) 3327-1451
SCN Qd 2 BL D, s/n Lj 52; Liberty Mall
Brasilia, DF

Dados Divulgados por
Brasília Clube de Xadrez
(61) 3274-5375
Scrn 706/707 Bl D, s/n, en 12, s 301
Brasilia, DF

Dados Divulgados por
Aabb-associação Atlética Banco do Brasil
(61) 3223-0078
Sces Tr 2, s/n, lt 16
Brasilia, DF

Dados Divulgados por
Le Français Restaurant
(61) 3225-4583
CLS 404 BL B, Lj 27
Brasilia, DF

Dados Divulgados por
Aero Clube de Brasília
(61) 3225-9811
Sgas 903, Lt 77
Brasilia, DF

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Café Orgânico: Uma boa pedida

Cultura de vanguarda, o café foi a primeira grande cultura a ser convertida para o manejo orgânico. Pudera, pois a demanda por consumo de café orgânico é elevada. Além disso, já dotamos de tecnologia de produção adequada ao cultivo de café em manejo orgânico.

Como qualquer cultura, o café orgânico também é manejado seguindo os princípios da agricultura orgânica. A adubação é feita com plantio de adubos verdes na entrelinha dos cafeeiros. O uso de adubos minerais pouco solúveis também é recomendado. Obviamente, por ser uma cultura perene, o manejo orgânico deve ser realizado preocupando-se com o manejo da entrelinha, principalmente nos princípios orgânicos da manutenção da biodiversidade da lavoura, bem como a consorciação de culturas. Dessa forma, minimiza a incidência de pragas e doenças. Alias, a praga e a doença que os cafeicultores orgânicos mais temem são o bicho mineiro e a ferrugem. Estas são combatidas eficientemente com o uso de caldas e controle biológico (Bacillus thurigiensis, por exemplo). O restante das pragas e doenças já catalogadas raramente têm importância na lavoura orgânica.

E o custo? Bem, a cultura do café não foge a regra: o custo de implantação, principalmente de conversão, é mais elevado do que o convencional. Produtores estimam um custo máximo superior ao convencional da ordem de 30%. Parece muito, mas compensa. O custo se torna elevado porque as lavouras que estão sendo convertidas reduzem muito a produtividade. Mas uma lavoura plantada organicamente tende a ter uma produtividade equiparada e até superior à convencional! Uma lavoura orgânica já equilibrada pode, no máximo, ter uma produtividade 5% inferior à cultura convencional. Já o custo de uma lavoura orgânica implantada pode ser inferior ao custo de uma lavoura sob manejo convencional.

Sobre o mercado apresento alguns números:

a) O preço da saca do café orgânico está na faixa de 30 a 50% mais elevado do que o convencional, sendo que é variado conforme a qualidade de bebida. Por falar em bebida: um estudo na UNICAMP demonstrou que café sob manejo orgânico tem qualidade de bebida superior ao que está sob manejo convencional!

b) Na safra 98/99 exportamos 22,7 mil sacas de café orgânico, tendo uma produção de 23 mil sacas. Em 99/00 colheu-se mais 40 mil sacas, sendo 39,4 mil sacas sendo exportadas. A produção de 00/01 fora de 50 mil sacas de café orgânico e a de 01/02 foi de 60 mil sacas. A safra atual, 02/03 é estimada em 85 mil sacas e a previsão para safra 03/05 é de 120 mil sacas (um crescimento de 40%).

Diante destes números, acredito que possamos afirmar que o café orgânico veio para ficar......


Fonte: Equipe Portal Orgânico - Eng. Agrônomo Ricardo Cerveira

Clique aqui para ler este artigo na Portal Agricultura