Café Orgânico: Uma boa pedida Fortaleza, Ceará

Cultura de vanguarda, o café foi a primeira grande cultura a ser convertida para o manejo orgânico. Pudera, pois a demanda por consumo de café orgânico é elevada. Além disso, já dotamos de tecnologia de produção adequada ao cultivo de café em manejo orgânico. Leia mais no artigo abaixo.

cardinalefornos
(85) 9604-3511
R.gal.clarindo queiroz n.2000 ap. 303
fortaleza, Ceará
 
Cafe85
(85) 8505-2845
Rua Armando Oliveira, 361, Parquelandia
Fortaleza, Ceará
 
Café Santa Clara
(85) 276-4426
vl Santa Clara, 1100, Messejana
Fortaleza, Ceará
 
Aurelio Melo Ltda
(85) 341-3214
pc Pontes Vieira SN Alto SL, 1
Maranguape, Ceará
 
Moageira Serra Grande Ltda
(85) 612-1010
rdv BR SN
Sobral, Ceará
 
Frutstok Distribuidora
(85) 3224-7112
Rua 4 de outubro, 1508 - CJ Industrial
maracanau, Ceará
 
Ricardo Vale Albino Oliveira
(85) 458-1322
av Dom Luís, 500, lj 113, Meireles
Fortaleza, Ceará
 
Moageira Serra Grande Ltda
(85) 225-1127
vl Belo Horizonte, 2911, Bela Vista
Fortaleza, Ceará
 
Aldenor Abrantes
(88) 511-3665
r São Paulo, 2156, Centro
Juazeiro do Norte, Ceará
 
Cafés Finos do Cariri Ltda
(88) 511-0834
av Padre Cicero, Centro
Juazeiro do Norte, Ceará
 

Café Orgânico: Uma boa pedida

Cultura de vanguarda, o café foi a primeira grande cultura a ser convertida para o manejo orgânico. Pudera, pois a demanda por consumo de café orgânico é elevada. Além disso, já dotamos de tecnologia de produção adequada ao cultivo de café em manejo orgânico.

Como qualquer cultura, o café orgânico também é manejado seguindo os princípios da agricultura orgânica. A adubação é feita com plantio de adubos verdes na entrelinha dos cafeeiros. O uso de adubos minerais pouco solúveis também é recomendado. Obviamente, por ser uma cultura perene, o manejo orgânico deve ser realizado preocupando-se com o manejo da entrelinha, principalmente nos princípios orgânicos da manutenção da biodiversidade da lavoura, bem como a consorciação de culturas. Dessa forma, minimiza a incidência de pragas e doenças. Alias, a praga e a doença que os cafeicultores orgânicos mais temem são o bicho mineiro e a ferrugem. Estas são combatidas eficientemente com o uso de caldas e controle biológico (Bacillus thurigiensis, por exemplo). O restante das pragas e doenças já catalogadas raramente têm importância na lavoura orgânica.

E o custo? Bem, a cultura do café não foge a regra: o custo de implantação, principalmente de conversão, é mais elevado do que o convencional. Produtores estimam um custo máximo superior ao convencional da ordem de 30%. Parece muito, mas compensa. O custo se torna elevado porque as lavouras que estão sendo convertidas reduzem muito a produtividade. Mas uma lavoura plantada organicamente tende a ter uma produtividade equiparada e até superior à convencional! Uma lavoura orgânica já equilibrada pode, no máximo, ter uma produtividade 5% inferior à cultura convencional. Já o custo de uma lavoura orgânica implantada pode ser inferior ao custo de uma lavoura sob manejo convencional.

Sobre o mercado apresento alguns números:

a) O preço da saca do café orgânico está na faixa de 30 a 50% mais elevado do que o convencional, sendo que é variado conforme a qualidade de bebida. Por falar em bebida: um estudo na UNICAMP demonstrou que café sob manejo orgânico tem qualidade de bebida superior ao que está sob manejo convencional!

b) Na safra 98/99 exportamos 22,7 mil sacas de café orgânico, tendo uma produção de 23 mil sacas. Em 99/00 colheu-se mais 40 mil sacas, sendo 39,4 mil sacas sendo exportadas. A produção de 00/01 fora de 50 mil sacas de café orgânico e a de 01/02 foi de 60 mil sacas. A safra atual, 02/03 é estimada em 85 mil sacas e a previsão para safra 03/05 é de 120 mil sacas (um crescimento de 40%).

Diante destes números, acredito que possamos afirmar que o café orgânico veio para ficar......


Fonte: Equipe Portal Orgânico - Eng. Agrônomo Ricardo Cerveira

Clique aqui para ler este artigo na Portal Agricultura