Manejo de resíduos orgânicos Brasília, DF

Uma nova tecnologia vem sendo usada para a produção de composto: é a compostagem laminar. Ela surge em função de um aperfeiçoamento da compostagem indore, como é chamado a compostagem feita em monte ou de pilha. Entenda mais no artigo abaixo.

Le Français Restaurant
(61) 3225-4583
CLS 404 BL B, Lj 27
Brasilia, DF

Dados Divulgados por
Cafe Cancun
(61) 3327-1451
SCN Qd 2 BL D, s/n Lj 52; Liberty Mall
Brasilia, DF

Dados Divulgados por
Aero Clube de Brasília
(61) 3225-9811
Sgas 903, Lt 77
Brasilia, DF

Dados Divulgados por
Dragon King
(61) 3328-4030
SCN Q 5 BL A, Brasília Shopp Lj 223
Brasilia, DF

Dados Divulgados por
Cantina Da Massa
(61) 3226-8374
CLS 302 BL A, Lj 4
Brasilia, DF

Dados Divulgados por
Fuji sushi
(61) 3224-6255
SCS Q 7 BL A, Lj 64
Brasilia, DF

Dados Divulgados por
Brasília Clube de Xadrez
(61) 3274-5375
Scrn 706/707 Bl D, s/n, en 12, s 301
Brasilia, DF

Dados Divulgados por
Centro de Treinamento Esgrima Brasília
(61) 3242-5497
Sces Tr 1, s/n, lt 3
Brasilia, DF

Dados Divulgados por
Haná Japanese Food
(61) 3242-7331
CLS 408 BL B, Lj 35
Brasilia, DF

Dados Divulgados por
Aabb-associação Atlética Banco do Brasil
(61) 3223-0078
Sces Tr 2, s/n, lt 16
Brasilia, DF

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Manejo de resíduos orgânicos

Uma nova tecnologia vem sendo usada para a produção de composto: é a compostagem laminar. Ela surge em função de um aperfeiçoamento da compostagem indore, como é chamado a compostagem feita em monte ou de pilha.

Criada com a principal intenção de reduzir a mão de obra e tempo de trabalho, a compostagem laminar é um grande avanço tecnológico nos países tropicais. Essa tecnologia não busca eliminar de vez a tecnologia da compostagem de pilha. Ela serve como um grande complemento, senão, um grande aliado da compostagem de pilha. Em pequenas áreas, a compostagem laminar pode e deve substituir a compostagem de pilha.

Enquanto já desenvolvemos inúmeros métodos de produção de composto em pilha, a compostagem laminar trata a compostagem de maneira bem, digamos, "tropicais". Isso ocorre porque a montagem da pilha tem como princípio criar um microclima para a fermentação aeróbica das matérias primas utilizadas: isso inclui o aquecimento da pilha. Esse aquecimento é muito importante, principalmente nos países com déficit de temperatura, como os países temperados. Porém, a pergunta que surgiu na elaboração da técnica da compostagem laminar é: no Brasil, exceto algumas regiões características, temos tais déficit de temperatura? A resposta é não. Então, porque devemos fazer as pilhas, já que oneram muito o produtor com relação ao uso de mão de obra (já existem equipamentos para montagem, reviragem e, até mesmo, ventilação forçada de ar dentro da pilha, porém torna-se onerosa na maioria das propriedades). Em alguns casos é muito mais interessante adotar a tecnologia da compostagem laminar.

Basicamente, a técnica consiste em aplicar as matérias primas que serão utilizadas (já balanceadas), em camadas ou misturadas, diretamente no campo, na superfície do solo, podendo ser incorporado em até 7cm dentro do solo (região ainda bem aerada). Devemos buscar deixar o material de maior relação C/N, como as palhas, como última camada dessa "lamina" (daí o nome laminar) para servir como cobertura morta de proteção ao solo. As vantagens do sistema, além da economia de tempo, trabalho e, consequentemente, dinheiro, incluem em inserir toda atividade biológica da fermentação do composto, no próprio solo ao invés de ficar confinado na pilha. A desvantagem se encontra em grandes áreas, onde o deslocamento de grandes volumes de materiais orgânicos, torna a compostagem de pilha mais econômica, haja vista que o composto tem o volume reduzido em mais de 40% do volume da matéria orginal!

A grande realidade é que estamos imitando a natureza: a floresta também faz sua compostagem laminar através da sua serrapilheira, não é mesmo?

Nota: É proibida a reprodução deste texto em qualquer veículo de comunicação sem a autorização expressa do autor. Só serão permitidas citações do texto desde que acompanhadas com a referência/crédito do autor.

Fonte: Equipe Portal Orgânico - Eng. Agrônomo Ricardo Cerveira

Clique aqui para ler este artigo na Portal Agricultura