Definição de Equoterapia Salvador, Bahia

A equoterapia é um método terapêutico que utiliza o cavalo como instrumento de reabilitação e desenvolvimento para portadores de deficiência ou de necessidades especiais, com a participação de uma equipe multidisciplinar composta por fisioterapeuta, psicólogo, fonoaudiólogo e professor de equitação.

Beatriz Leao Cruz
(75) 3262-1522
Conceicao Do Coite, Bahia
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Carla Cristina Spínola Souto
(71) 3387-2708
Rua Cabula 000 - Sn
Salvador, Bahia
Especialidade
Medicina de Urgência

Dados Divulgados por
Jussara Maria Gomes Caetano
(71) 3331-2350
Anita Garibald SALA 217 - B - Centro Medico Empresarial
Salvador, Bahia
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Ana Rita Ribeiro Gonçalves
(71) 3249-1565
Av Dorival Caymmi 14193 - Sala 118 Edf. Walter Negreiros Empresarial
Salvador, Bahia
Especialidade
Medicina Intensiva

Dados Divulgados por
Gilson Soares Feitosa Filho
(71) 2203-8214
Praça Almeida Couto 500
Salvador, Bahia
Especialidade
Medicina Intensiva

Dados Divulgados por
Roberto Vieira Pinto
(71) 3358-2641
Av Acm - Centro Medico Louis Pasteur Sala 905
Salvador, Bahia
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Vânia Goyanna Pinheiro Silva
(71) 3354-6587
Av Acm 429 - S/206207 Centro Emp Itaigara Sul
Salvador, Bahia
Especialidade
Patologia

Dados Divulgados por
Charles Fonseca
(71) 3359-8345
Av Acm 2501 - Ed Profissional Center S/1121
Salvador, Bahia
Especialidade
Medicina do Trabalho

Dados Divulgados por
Juracy Blos Pita
(71) 3322-7216
R Chile 5 - S/406-410 Recepção Loja 11 (Térreo)
Salvador, Bahia
Especialidade
Patologia Clínica/Medicina Laboratorial

Dados Divulgados por
Maria Alice Bezerra de Andrade
(71) 3357-8739
Av Dom João Vi 1291 - Hospital Evangélico da Bahia
Salvador, Bahia
Especialidade
Nutrologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Definição de Equoterapia

O objetivo do presente artigo é apresentar a equoterapia aos psicólogos, como campo de trabalho, pesquisa e participação no grave problema do tratamento das pessoas portadoras de necessidades especiais.

A equoterapia é um método terapêutico que utiliza o cavalo como instrumento de reabilitação e desenvolvimento para portadores de deficiência ou de necessidades especiais, com a participação de uma equipe multidisciplinar composta por fisioterapeuta, psicólogo, fonoaudiólogo e professor de equitação. Ela pode também ser de grande valor para crianças não portadoras de deficiências físicas, mas que poderiam se beneficiar de melhoras em seu desenvolvimento psicomotor, sua capacidade de relacionamento e aprendizagem, sua auto-estima. Por isso, podemos também chamar a equoterapia de "equitação terapêutica", possibilitando uma introdução à equitação simultaneamente a um processo de estimulação ao desenvolvimento global da criança.

A base da equoterapia é, resumidamente, a seguinte: quando um ser humano está montado a cavalo, seu corpo é permanentemente solicitado a fazer ajustes posturais para responder aos desequilíbrios provocados pelos movimentos do animal. Na realidade, o cavalo nunca está totalmente parado. Ele troca o apoio das patas, desloca a cabeça ao olhar para os lados, flexiona a coluna, abaixa e alonga o pescoço etc. O ajuste tônico, movimento automático de adaptação, torna-se rítmico com o deslocamento do cavalo ao passo, sendo esse ritmo um dos pontos centrais da equoterapia. O cavalo ao passo, andamento natural em que é conduzida a equoterapia, provoca movimentos tridimensionais no corpo de quem está montado: para a frente e para trás, para um lado e para o outro, para cima e para baixo.

No aspecto psicológico, há um grande reforço da auto-estima. Uma criança, que vê o mundo de baixo para cima, quando montada a cavalo tem o seu ângulo de visão alçado para cerca de dois metros e meio de altura, mais elevado que o olhar de um adulto. Somam-se a isso o prazer e a sensação de força e liberdade por estar conduzindo um animal de grande porte e significativa carga simbólica.

O cavalo e a equipe interdisciplinar funcionam como poderosa ferramenta terapêutica e de desenvolvimento. O Conselho Federal de Medicina, através do Parecer 06/97, reconheceu a equoterapia como método a ser incorporado ao arsenal de métodos e técnicas direcionados aos programas de reabilitação de pessoas com necessidades especiais, quer sejam de natureza física, educacional ou social.

A equoterapia foi introduzida no Brasil na década de 70. Em 1989 foi fundada a Ande Brasil - Associação Nacional de Equoterapia (www.equoterapia.org.br), instituição filantrópica com sede em Brasília/DF, cujas finalidades precípuas são o incentivo e o controle das atividades de equoterapia em âmbito nacional.

Segundo a Ande Brasil, existem hoje no Brasil cerca de 210 centros de equoterapia, sendo 58,7% localizados na região Sudeste, 21% na região Sul, 11,2% na região Centro-Oeste, 8,4% na região Nordeste e 0,9% na região Norte.

Já foram realizados três congressos nacionais de equoterapia, o primeiro em Brasília/DF em 1999, o segundo em Jaguariúna/SP em 2002 e o terceiro em Salvador/BA em 2004. O autor apresentou no II Congresso Nacional um trabalho intitulado "A Psicoterapia de Orientação Psicanalítica na Equoterapia". O IV Congresso Nacional será realizado em setembro de 2008, em Curitiba.

Há no país diversos cursos nos níveis básico, avançado, extensão e especialização sobre equoterapia. Esses cursos são oferecidos pelos centros de equoterapia filiados à Ande Brasil e por diversas universidades: Universidade Federal de Santa Maria/RS, Universidade Tuiuti do Paraná/PR, Pontifícia Universidade Católica do Paraná/PR, Universidade Veiga de Almeida/RJ, Universidade de Campinas/SP, Universidade de São Paulo/SP, Universidade Mackenzie/SP, Universidade de Pernambuco/PE e Universidade do Estado do Pará/PA. O objetivo desses cursos é a capacitação de novos profissionais das áreas de saúde, educação e equitação para atendimento aos portadores de necessidades especiais.

De acordo com dados da Ande Brasil, até 2004 haviam sido treinados 2.154 profissionais de nível superior em seus cursos de capacitação, sendo que dentre eles estavam 295 psicólogos. Pode-se estimar, considerando-se os cursos promovidos pelos diversos centros de equoterapia, que cerca de mil psicólogos tenham feito a capacitação básica para trabalhar em equipe multidisciplinar de equoterapia.

A equoterapia no plano internacional é identificada por expressões como "Equitação Terapêutica" , "Terapia por Meio do Cavalo", "Hipoterapia" e outros análogos, nos diversos idiomas dos países em que é aplicada. O termo "equoterapia" foi cunhado pela Ande Brasil, tendo hoje um princípio de reconhecimento internacional.

Sua história remonta a Hipócrates, que já mencionava o valor terapêutico da equitação, como fator de regeneração da saúde e benéfico para o tônus muscular. Há diversas referências e contribuições ao longo do século XVIII, mas foi no início do século XX a primeira aplicação da equoterapia em contexto hospitalar, no Hospital Ortopédico Oswentry, na Inglaterra. Em 1971 chegam ao Brasil as primeiras experiências em equoterapia trazidas pelas fisioterapeutas Elly Kogler e Gabrielle Walther. Em 1974 ocorre o I Congresso Internacional de Equitação Terapêutica, seguindo-se uma série de congressos internacionais, sendo que no V Congresso de 1985 foi fundada a federação internacional: FRDI - Federation Riding for the Disabled International, atualmente com sede na Áustria (www.frdi.net). Dentre as organizações nacionais associadas à FRDI podemos citas a NARHA - North American Riding for the Disabled Association (www.narha.org) e a RDA - Riding for the Disabled Association - United Kingdom (riding-for-disabled.org.uk).

Em 2003 realizou-se o XI Congresso Internacional em Budapeste, Hungria, quando o autor apresentou um trabalho sobre a Psicoterapia de Orientação Psicanalítica na Equoterapia, escolhido para encerrar a última plenária do congresso. O trabalho encontra-se disponível no site do Equovida - Centro de Equoterapia e Qualidade de Vida, do qual o autor é fundador e diretor: www.equovida.com.br.

O XII Congresso Internacional realizou-se em Brasília/DF, Brasil, no período de 9 a 12 de agosto de 2006, quando o autor apresentou um trabalho sobre Transdisciplinaridade: Um Novo Paradigma na Equoterapia. Cerca de 20 outros trabalhos relacionados à psicologia foram apresentados no mesmo evento.

Já existe bibliografia nacional disponível:

- ANDE Brasil - Associação Nacional de Equoterapia. Coletânea de Trabalhos do II Congresso Brasileiro de Equoterapia. 2002.

- ANDE Brasil - Associação Nacional de Equoterapia. Coletânea de Trabalhos do III Congresso Brasileiro de Equoterapia. 2004.

- Freire, H.B.G. Equoterapia, Teoria e Técnica: Uma Experiência com Crianças Autistas. São Paulo: Vetor Editora.

- Martinez, Sabrina. Fisioterapia na Equoterapia. São Paulo: Idéias e Letras 2005.

- Lermontov, T. A Psicomotricidade na Equoterapia. São Paulo: Idéias e Letras 2004.

- Medeiros, M Equoterapia - Noções Elementares e Aspectos Neurocientíficos. Rio de Janeiro: Livraria e Editora Revinter.

- Medeiros, M A Criança com Disfunção Neuromotora - A Equoterapia e o Bobath na Prática Clínica. Rio de Janeiro: Livraria e Editora Revinter.

- Medeiros, M. e Dias, E. Equoterapia, Bases e Fundamentos. Rio de Janeiro: Livraria e Editora Revinter.

- Medeiros, M. e Dias, E. Distúrbios da Aprendizagem: a Equoterapia na Otimização do Ambiente Terapêutico. Rio de Janeiro: Livraria e Editora Revinter.

- Medezani, Jocilane D. "O Passo da Dignidade. Seu poder pessoal realizou o impossível". Editora Referência.

- Uzun, Ana Luisa de Lara: Equoterapia - aplicação em distúrbios do equilíbrio. São Paulo: Vetor 2005.

O autor coloca-se à disposição para maiores informações: amauri@equovida.com.br e convida os leitores a visitarem o site www.equovida.com.br.

Sobre o Autor
Amauri Solon Ribeiro é Psicólogo, Psicoterapeuta, Consultor do CPA - Centro de Psicologia Avançada e Diretor do Equovida – Centro de Equoterapia e Qualidade de Vida, no Rio de Janeiro. É membro do Conselho Técnico – Científico da Ande Brasil, Associação Nacional de Equoterapia.

Há 40 anos dedica-se às atividades de psicoterapia e consultoria organizacional. Sua orientação eclética, mas de base psicanalítica, complementada por sua passagem na área educacional, foram fatores de diferenciação tanto no mercado de consultoria quanto na atuação psicoterapêutica. Atualmente dedica-se ao CPA-Centro de Psicologia Avançada, no Rio de Janeiro (www.sheilasolon.com.br), mantendo seu consultório individual e dirigindo o Equovida – Centro de Equoterapia e Qualidade de Vida (www.equovida.com.br). Participou de grupos e trabalhos de formação em psicoterapia de orientação psicanalítica, existencial, bioenergética, análise transacional, laboratórios de sensibilidade e dinâmica de grupo. Tendo sempre se dedicado à equitação, há sete anos dedica-se à equoterapia, trabalhando com crianças especiais com auxílio do cavalo e de equipes multidisciplinares. Foi Diretor de Relações Comunitárias das Organizações Globo, onde atuou durante 8 anos, assessorando diretamente a presidência do grupo, de onde saiu em 1999. Nesse período foi “Fellow” do Aspen Institute, Aspen/Colorado (EUA) e membro do conselho do INEM – International Network for Environmental Management, sediado em Bonn, Alemanha. Dirigiu inúmeras organizações nas áreas social, educacional e de meio ambiente: foi presidente da Casa dos Artistas, do Instituto Brasil de Educação Ambiental e Superintendente do MOBRAL- Movimento Brasileiro de Alfabetização, entre outras. Foi professor de psicologia institucional na PUC do Rio de Janeiro. Foi psicólogo da APAE de Juiz de Fora/MG, onde também dirigiu outras clínicas de psicologia, neurologia e psiquiatria. Durante muitos anos dedicou-se à consultoria organizacional, tendo grandes empresas nacionais e multinacionais entre seus clientes: Petrobrás, Furnas, BNDES, Senac, Sebrae, Shell, Montreal Engenharia, etc.

Artigos.com