Definição de Gestão Quântica Brasília, DF

A gestâo quântica tem seus fundamentos no controle da mente.A partir do momento que mudamos nossas crenças, passamos a ver o mundo de forma diferente e começamos a viver de forma diferente, criando uma nova realidade.

Elétrica Hidrowat
(61) 3340-1841
SCLRN 716 BL A lj 21
Brasília, DF
 
Alencar Instalações
(61) 3245-2104
CRS 513 BL B s 203 en 9
Brasília, DF
 
Altaide Eletricista
(61) 3274-1603
SCLRN 708 BL C ap 101 en 16
Brasília, DF
 
Francisco Bombeiro Hidráulico Eletricista
(61) 3233-3684
SHCES Q 303 BL C Comércio lj 47
Brasília, DF
 
Marcelo Eletricista
(61) 3355-6395
QN 3 CJ 5 c 22
Brasília, DF
 
Apoio Telecom
(61) 3223-2331
SDS BL Q s 307
Brasília, DF
 
S.o.s Pague Menos Elétricos e Hidráulicos
(61) 3347-2002
SCLRN 704 BL C lj 20
Brasília, DF
 
Circuitu´s Instalações e Reformas
(61) 9333-2430
CLN 406 BL A lj 8
Brasília, DF
 
Divino Instalações Elétricas
(61) 9998-1466
QI 8 cj D
Brasília, DF
 
Elétrica e Hidráulica Sadan
(61) 3399-5976
QS 14 c 3 cj 10B
Brasília, DF
 

Definição de Gestão Quântica

Quando um ser humano muda, tudo muda ao seu redor e a transformação organizacional ocorre junto com a transformação individual.

Como criar uma mudança fundamental tanto em nós mesmos quanto em nossas organizações?

- Tudo deve partir da nossa mente.

A partir do momento que mudamos nossas crenças, passamos a ver o mundo de forma diferente e começamos a viver de forma diferente, criando uma nova realidade.

Através do gerenciamento quântico, que engloba sete capacidades relacionadas a comportamentos e habilidades-chaves relacionadas ao local de trabalho, propõe-se a transformação das organizações.

As sete capacidades quânticas do ser humano:

1. Visão quântica: ver com intenção, nós olhamos, mas não vemos realmente o outro, a empresa, o cliente, a vida, a família, etc.

2. Pensamento quântico: capacidade de pensar e analisar com fatos reais, geralmente supomos, fantasiamos e damos um final a situações que na realidade poderiam ser mudadas.

3. Sentimento quântico: capacidade de se sentir efetivamente vivo e vibrar com isso, sabendo que somente quem está vivo pode fazer a diferença.

4. Conhecimento quântico: capacidade de desenvolver a intuição e através dela poder direcionar um resultado, uma conquista, uma nova razão para se lutar.

5. Ação quântica: capacidade de agir com responsabilidade e pensar no que nossas ações podem causar aos que nos cercam hoje, amanhã e no futuro.

6. Confiança quântica: capacidade de confiar na vida, no seu poder de realização, no otimismo e na força de vontade.

7. Ser quântico: capacidade de ser em todos os tipos de relacionamentos, ser e fazer-se sentir integral em todos os papéis exercidos na vida. Não apenas fingir que se é bom pai, bom marido, bom profissional, um ser humano de sucesso.

Um dos pré-requisitos para o gerenciamento quântico é deixar que os subordinados assumam mais poder e responsabilidades. Para que sejam estimulados a sentirem-se completos, para isso será necessário:

1. Responsabilidade com visão clara e atenção aos desafios: deixando a criatividade e a liberdade de pensamento fluir.

2. Abertura para trabalho em equipe: fazendo-se sentir como parte integrante de algo maior e não somente uma pequena partícula sem importância para a organização.

3. Disciplina e controle é o querer realmente: estar de corpo inteiro em tudo que se faz.

4. Apoio e sentimento de segurança: sentir-se acompanhado na alma e não somente em presença física.

O desenvolvimento das capacidades quânticas equilibra os hemisférios cerebrais, que passam a ser utilizados mais plenamente. À medida que dominamos estas capacidades, criamos vidas equilibradas e organizações que usam o cérebro como um todo, ou seja, suas múltiplas inteligências, tornando-as gerenciadoras competentes de mudanças, transformando nossas organizações e principalmente, nós mesmos.

A competência técnica, decorrente da educação formal, do estudo e da tecnologia, possibilita a capacitação profissional, fundamental para o trabalho. Porém, esta sozinha não é suficiente para formar um bom funcionário, que necessita também de competência interpessoal, um conjunto de habilidades de relacionamento.

Neste novo século, com necessidades em constante mudança, verifica-se nas empresas esta grande lacuna da educação emocional, da competência interpessoal e da competência social, que devem ser desenvolvidas por meio do gerenciamento quântico, que promoverá o diferencial competitivo da empresa.

Para exercer habilidades como o planejamento, a organização, a direção e o controle, as pessoas exercitam a metade esquerda do cérebro. Essas habilidades são resultado de uma visão de mundo baseada nas leis da física de Isaac Newton, para a qual a realidade é inequivocamente objetiva, os efeitos são previsíveis e todo o conhecimento surge por intermédio de análises.

Uma visão de mundo baseada nessas suposições requer aptidões de pensamento lógicas e lineares. O foco total nessas habilidades não é essencial. Hoje, precisamos de uma visão "quântica" de mundo, isto é, ver o universo como um sistema dinâmico, imprevisível, subjetivo e auto-organizador e não como uma máquina previsível e objetiva. Nesta concepção, é preciso que cada um se deixe guiar por "habilidades quânticas", capacidades trabalhadas pelo lado direito do cérebro, que deve trabalhar juntamente com o esquerdo para que se completem.

Estas aptidões são inatas e universais, mas acabam sufocadas por instituições como família e escola, dentre outras organizações sociais.

A premissa básica é de que a empresa espelha as crenças e valores coletivos e individuais dos seus funcionários. Logo, é possível que as pessoas aprendam a mudar seus ambientes de trabalho ao aprender a mudar a si mesmas.

Sobre o Autor
•PhD em Administração de Empresas pela Flórida Christian University (EUA)
•PhD em Psicologia Clínica pela Flórida Christian University (EUA)
•Psicanalista e Diretora de Assessoria Geral da Sociedade de Psicanálise Transcendental.
•Mestre em Administração de Empresas pela USP.
•Especialista em Estratégias de Marketing em Turismo e Hotelaria pela USP, MBA em Gestão de Pessoas e Especialista em Informática Gerencial.
•Psicanalista voluntária na Casa de Apoio à Criança Carente com Câncer e na Universidade da Terceira Idade.
•Professora da FGV do Rio de Janeiro e de mais 03 universidades.
•Empresária no ramo moveleiro
•Responsável e Membro do Conselho Editorial da Revista Empresa Familiar.
•Coordenadora do grupo de Excelência de Empresa Familiar do Conselho Regional de Administração de São Paulo - CRA.
•Diretora da DS Consultoria S/S Ltda, especializada em Empresas Familiares.
•Conciliadora, Mediadora e Árbitra Empresarial.
•Membro do Conselho Editorial e responsável pela Revista Empresa Familiar.
•Autora do livro O Perfil do Empreendedor e co-autora do livro Empresa Familiar: Conflitos e Soluções, juntamente com Domingos Ricca, Roberto Gonzalez e José Bernardo Enéas Oliveira.
•Vários artigos publicados na área de Administração, Tecnologia da Informação e Psicanálise em revistas especializadas.

Artigos.com