Direito Penal Parnaíba, Piauí

Este artigo é uma visão geral daquilo que um réu num caso de Direito Penal, pode esperar ao ser interrogado pela policia durante todo o processo até pronuncio da sentença, se considerado culpado.

Primeiro Mundo Marcas Patentes
(48) 224-2003
av Mauro Ramos, 435, Centro
Florianópolis, Santa Catarina
 
CBM Cia Brs Marcas Sc
(67) 326-5951
r Azurita, 208, Caranda Bosque
Campo Grande, Mato Grosso do Sul
 
Goldstar Patentes e Marcas S/C Ltda
(113) 663-4000
r Itapemirim, 29, Consolação
São Paulo, São Paulo
 
HG Coml Imp e Exp Ltda
(113) 399-5736
R Cesário Ramalho, 707, Cambuci
São Paulo, São Paulo
 
Forte Análises S/C Ltda
(113) 224-0055
r Itu,Marq, 391, Sl 1, Consolação
São Paulo, São Paulo
 
Moulin Marcas e Patentes Ltda
(212) 233-3217
r Acre, 55, An 9 Sl 905, Centro
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro
 
Samia Santos Marcas e Patentes Sc Ltda
(313) 281-5088
av G Vargas, 1451, an 3
Belo Horizonte, Minas Gerais
 
Linhares Marcas e Patentes
(313) 274-1888
r Paraíba, 330, cj 1011, Santa Efigenia
Belo Horizonte, Minas Gerais
 
Marcaviva Marcas Patentes e Tecnologia
(113) 097-9225
Av Faria Lima,Brig, 1912, An 20 CJ J, Jd Paulistano
São Paulo, São Paulo
 
Eliane L Silva
(313) 271-6969
r Janeiro, 462, sl 1701
Belo Horizonte, Minas Gerais
 

Direito Penal

É certo que o bom operador do Direito deverá dedicar-se não só ao estudo da ciência do Direito, mas também ter o devido contato com as matérias que englobam outros campos, principalmente os ligados ao ser humano, para obter a eficiência e eficácia em suas atividades.

Assim, a psicologia, por exemplo, é matéria de atenção do criminalista, como a criminologia também deve ser.

Obviamente que o crime não pode ser considerado uma ação normal, especialmente quando falamos de crimes de homicídio, ou qualquer crime contra a integridade física das pessoas. Estes atos trazem medo e intranqüilidade à sociedade.

Tendo em vista que na história humana desde sempre esta foi uma grande preocupação, como é comum acontecer em outros segmentos, viu-se a necessidade de se criar um mecanismo de estudo das ações, meios utilizados e dos motivos, entre outras coisas, desses agentes e do próprio crime. Era o nascimento da ciência da criminologia.

A Criminologia trata da análise do perfil biopsicossocial do criminoso. Pode-se determinar a causa e origem do ato criminoso, um perfil da pessoa que cometeu o delito e de sua conduta, identificarmos os fatores que impulsionam a realização do ato criminoso, ou seja, porque o crime aconteceu de tal modo e sob tais circunstâncias e a até onde este crime afeta a sociedade e, como muitos não sabem, propõe também meios para prevenir o crime e também ressocializar o criminoso, através de tratamento e readequação do delinqüente ao seu meio social.

Ambas as disciplinas, direito e criminologia, estão dentre as ciências humanas, também denominadas sociais ou culturais. Lidam com a diversidade das personalidades, suas complexidades e singularidades.

A criminologia tem um objeto de estudo abrangente e utiliza uma metodologia bastante sofisticada, indo muito além, como podemos perceber, da determinação da causa e do agente criminoso.

A Criminologia pode ser importante fonte de subsídios nas investigações policiais e durante todo o processo criminal em Juízo. Os estudos da Criminologia ajudam a melhor entender e aplicar institutos como o do interrogatório e confissão em juízo, intervenção da vítima como assistente da acusação, delação premiada, incidente de insanidade mental, transação penal, suspensão condicional do processo, medida cautelar de afastamento do agressor na hipótese de violência doméstica etc.. E, mormente no segmento da execução penal, a Criminologia é importante elemento para a concessão de benesses previstas na lei específica.

A lei leva-nos ao subjetivismo no caso da transação penal e da suspensão condicional do processo, onde os requisitos subjetivos previstos pela legislação são preenchidos por critérios e opiniões puramente pessoais do agente ministerial. Aqui, entendo que a análise deveria se submeter a elementos próprios que possibilitassem ou não o enquadramento nas hipóteses legais, através da Criminologia.

Acredito que o criminalista deveria contar com um criminólogo para subsidiar a defesa dos direitos de seus clientes, inclusive tendo o Poder Judiciário a obrigação de ter estes profissionais nomeados para todos os casos criminais no caso de o acusado não poder constituí-lo.

Enfim, saliento a relevante contribuição que a Criminologia pode trazer para normatizar e regular os fenômenos da criminalidade em todas as suas modalidades.

Fraternal Abraço.

Sobre o Autor

Roberto Bartolomei Parentoni é Advogado Criminalista - www.parentoni.com - militante há mais de 18 anos, professor e autor de livros jurídicos, especialista em Direito e Processo Penal, atual presidente do IDECRIM - Instituto de Direito e Ensino Criminal - www.idecrim.com.br -


Artigos.com