Entenda a agricultura orgânica Rio Branco, Acre

Quando visitamos inúmeras propriedades orgânicas, observamos que a grande maioria possuí uma barreira vegetal (faixa de árvores, arbustos, cercas vivas ou mesmo culturas não comerciais), criando uma divisa física com vizinhos. Isso não é feito por estética, como muitos podem pensar. Conheca os motivos no artigo abaixo.

E. C. Vieira - Me
(68) 3223-3857
r Hugo Carneiro, 227, Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
D. M. S. Borges - Me
(68) 3226-6655
av Nações Unidas, 2123, Estação Experimental
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
F. Junior Vieira de Oliveira
(68) 3026-1046
r Deodoro,Mal, 159, Sl 244, Centro
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
J. Felix Ferreira
(68) 3026-1037
r Rio de Janeiro, 1854, Qd D 9 Cs 2, Base
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
I. J. Schaefer -me
(68) 3228-4088
av Getúlio Vargas, 3242, Vl Ivonete
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Elcimar F. Ferreira
(68) 3223-3857
etr Usina, 1321, Aviário
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
D Lago
(68) 3026-2495
r Rubens Carneiro, s/n, Sn, Abrahão Alab
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
F . Moura Felix - Me
(68) 3227-7182
r Rio de Janeiro, 1564, Floresta
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Cometa Restaurante Ltda
(68) 3224-2115
r Quintino Bocaiúva, 223, Centro
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
A. Palu Junior
(68) 3224-1998
r Quintino Bocaiúva, 1452, Bsq
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Entenda a agricultura orgânica

Quando visitamos inúmeras propriedades orgânicas, observamos que a grande maioria possuí uma barreira vegetal (faixa de árvores, arbustos, cercas vivas ou mesmo culturas não comerciais), criando uma divisa física com vizinhos ou, até mesmo, entre talhões na própria propriedade.

Isso não é feito por estética, como muitos podem pensar. Pode até ser bonito paisagisticamente, mas sua finalidade é outra.

Dentro das normas da agricultura orgânica, é exigido do produtor uma faixa de segurança entre sua lavoura orgânica e lavouras não orgânicas dos vizinhos, bem como lavouras em conversão do próprio produtor. Serve de proteção às culturas, dos contaminantes utilizados em lavouras não certificadas. Assim sendo, foi estabelecido que é necessário uma faixa de segurança de 20 metros caso não haja tal barreira física. Quando feita tal barreira, essa faixa de seguranças baixa para 10 metros. Vale ressaltar que regiões em que se aplicam produtos tóxicos via pulverização aérea, a faixa de segurança aumenta para 200 metros sem barreira física e 100 metros com barreira física.

Temos que observar que a finalidade da barreira física não é apenas de proteção como apresentado pelas normas de produção orgânica. Uma boa e diversificada barreira física serve como um ambiente propício à criação de inimigos naturais às pragas e doenças de nossas culturas; serve de quebra-vento e, é claro, quebra a monotonia que possa existir em nossas áreas, dificultando a explosão demográfica de pragas e doenças. Também podemos acrescentar um toque paisagístico a essas barreiras, bem como num aumento da fauna na propriedade (principalmente com a inclusão de espécies frutíferas).

Existem pessoas que acreditam que a barreira diminuí muito a área de produção. Mas vale lembrar que a barreira serve de proteção ao produtor e ao consumidor. Em muitos países, principalmente na Europa, já existem leis que dividem esse ônus com o próprio vizinho convencional, que é a fonte desse risco de contaminação: ele deve fazer uma parte da faixa de segurança ou toda ela para não onerar o produtor que decide transformar a propriedade em orgânica. É um grande incentivo aos produtores interessados em agricultura orgânica. Espero que um dia, essa lei seja criada e aplicada para nossos agricultores orgânicos.

Nota: É proibida a reprodução deste texto em qualquer veículo de comunicação sem a autorização expressa do autor. Só serão permitidas citações do texto desde que acompanhadas com a referência/crédito do autor.

Fonte: Equipe Portal Orgânico - Eng. Agrônomo Ricardo Cerveira

Clique aqui para ler este artigo na Portal Agricultura