Assessoria de agricultura Fortaleza, Ceará

"Não há problemas conceituais acerca da importância da agricultura familiar, no que diz respeito às ações do Governo Federal. Entretanto, é preciso fazer ajustes em todas as áreas afins para tratar os desiguais na medida das desigualdades. Leia mais no artigo abaixo.

Palestrante André Morrevi
(85) 8701-9080
Rua Otoni Façanha de Sá 09
Fortaleza, Ceará
 
Escola de 1 Grau Est do para
(85) 272-6847
r Djalma Petit, 589, Alto Da Balança
Fortaleza, Ceará
 
Escola de 1 Grau Joaquim Nogueira
(85) 281-3612
r Antônio Pompeu, 2005, Centro
Fortaleza, Ceará
 
Escola de Primeiro Grau Profa Maria Margarida de Castro Almeida
(85) 298-3695
av Contorno Sul, 1380, Conjunto Esperança
Fortaleza, Ceará
 
Escola de 1 Grau João Matias Gomes
(85) 257-7842
r Padre Roma, 838, Fátima
Fortaleza, Ceará
 
Easy Way Intercâmbios
(85) 9608-4689
Av. Santos Dumont, 3060 Sala 515
Fortaleza, Ceará
 
Escola de 2 Grau Deputado Paulo Benevides
(85) 229-3050
r Angélica Gurgel, Messejana
Fortaleza, Ceará
 
Escola de 1 Grau Doná Maria Meneses de Serpa
(85) 485-2003
r Doutor Quixadá Felício, 141, Vila Velha
Fortaleza, Ceará
 
Escola de 1 Grau Johnson
(85) 239-2133
r Virgilio Bastos dos Santos, 461, Coco
Fortaleza, Ceará
 
Colégio Estadual Liceu do Ceará
(85) 223-0817
r Gustavo Barroso, Bom Jardim
Fortaleza, Ceará
 

Assessoria de agricultura

Publicidade "Não há problemas conceituais acerca da importância da agricultura familiar, no que diz respeito às ações do Governo Federal. Entretanto, é preciso fazer ajustes em todas as áreas afins para tratar os desiguais na medida das desigualdades, conforme diz a Constituição Federal". Essa é a opinião do secretário de Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Adoniram Sanches Peraci, falou a representantes das 27 instituições estaduais de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) de todo o Brasil, reunidos em Brasília.

O grupo participa de um seminário sobre crédito e seguro da agricultura familiar, promovido pela Secretaria de Agricultura Familiar (SAF), com o objetivo de disseminar as orientações quanto aos procedimentos para as Unidades de Referência e trabalhos de ATER, a operacionalização dos convênios para a execução e as metas a serem alcançadas.

O secretário destacou a relação que vem sendo fortalecida junto aos estados e suas instituições oficiais de ATER no sentido de firmar parcerias para ações voltadas a esses serviços. Falou, ainda, sobre a agenda e o organograma da SAF para os quatro anos de governo, bem como o compromisso da Secretaria com grandes ambientes onde as ações precisam avançar. Sobre eles, o secretário avisou que as instituições de ATER - oficiais e não-oficiais - serão chamadas para um diálogo mais abrangente.

Pobreza e desenvolvimento

Sobre pobreza e desenvolvimento, Peraci destacou o grande desafio de o "rural" encontrar essa camada mais empobrecida da sociedade e se mostrar como uma porta de saída. "Todo o País tem discutido esse tema e, certamente, os nossos instrumentos de políticas públicas precisam contribuir nesse processo", afirmou o secretário, que lembrou ainda a importância de cada parceiro encontrar seu papel.

Ecologização do Pronaf

"Estamos diante de uma grande oportunidade para dar ênfase à responsabilidade ambiental", disse o secretário. Segundo ele, existem grandes instrumentos para isso, a partir do processo de ecologização dos instrumentos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Políticas setoriais

Segundo Peraci, é preciso pensar em políticas setoriais, uma vez que existe hoje um bom ambiente, não só para criar, mas também para ajustar os instrumentos existentes, com foco na agricultura familiar. Trata-se do conceito de cadeias produtivas - como no caso do leite, onde o processo já está bem avançado -, levando em conta os fatores pesquisa, extensão rural, mercado, renda e crédito.

Segurança alimentar

Para a SAF, as estratégias de desenvolvimento rural sustentável devem priorizar a continuidade e o aumento crescente da oferta de alimentos de boa qualidade. "É preciso ser criativo, mas com responsabilidade", afirmou o secretário. O desenvolvimento sustentável requer, ao mesmo tempo, instrumentos que estimulem a produção sustentável, a distribuição e o consumo de alimentos no sentido de atender ao direito à alimentação de toda a população, respeitando as diferenças culturais do povo brasileiro.

Peraci finalizou reafirmando o compromisso de um diálogo constante com as instituições de ATER.