Assessoria de agricultura Rio Branco, Acre

"Não há problemas conceituais acerca da importância da agricultura familiar, no que diz respeito às ações do Governo Federal. Entretanto, é preciso fazer ajustes em todas as áreas afins para tratar os desiguais na medida das desigualdades. Leia mais no artigo abaixo.

SESI - Serviço Social da Indústria - AC
(68) 3212-4200
av Nações Unidas, 3727, Estação Experimental
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
M. S. Pre-vestibular Ltda
(68) 3224-0726
r Venezuela, 658, Cerâmica
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Instituto de Ensino Superior do Acre
(68) 3244-1282
tr Ponta Pora, 100, Capoeira
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
SENAI - Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial
(68) 3223-3678
av Epaminondas Jacome, 1260, Base
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Sociedade Educativa Acreana Ltda
(68) 3026-1717
av Getúlio Vargas, 1268, An 2 Sl 202, Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
R. L. P. dos Santos - Me
(68) 3221-2301
r Deodoro,Mal, 236, 2 An, Centro
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Faculdade Barão do Rio Branco
(68) 3213-7070
rdv BR-364, 2000, Km 2, Dis Industrial
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
A F Carneiro
(68) 3224-1946
r Bartolomeu Bueno, 163, Cs, Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
UFAC
(68) 3901-2571
rdv BR-364, 4000, Km 4, Dis Industrial
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Faculdade da Amazônia Ocidental
(68) 2106-8200
etr Dias Martins, 894, Ch Ipê
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Assessoria de agricultura

Publicidade "Não há problemas conceituais acerca da importância da agricultura familiar, no que diz respeito às ações do Governo Federal. Entretanto, é preciso fazer ajustes em todas as áreas afins para tratar os desiguais na medida das desigualdades, conforme diz a Constituição Federal". Essa é a opinião do secretário de Agricultura Familiar do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), Adoniram Sanches Peraci, falou a representantes das 27 instituições estaduais de Assistência Técnica e Extensão Rural (ATER) de todo o Brasil, reunidos em Brasília.

O grupo participa de um seminário sobre crédito e seguro da agricultura familiar, promovido pela Secretaria de Agricultura Familiar (SAF), com o objetivo de disseminar as orientações quanto aos procedimentos para as Unidades de Referência e trabalhos de ATER, a operacionalização dos convênios para a execução e as metas a serem alcançadas.

O secretário destacou a relação que vem sendo fortalecida junto aos estados e suas instituições oficiais de ATER no sentido de firmar parcerias para ações voltadas a esses serviços. Falou, ainda, sobre a agenda e o organograma da SAF para os quatro anos de governo, bem como o compromisso da Secretaria com grandes ambientes onde as ações precisam avançar. Sobre eles, o secretário avisou que as instituições de ATER - oficiais e não-oficiais - serão chamadas para um diálogo mais abrangente.

Pobreza e desenvolvimento

Sobre pobreza e desenvolvimento, Peraci destacou o grande desafio de o "rural" encontrar essa camada mais empobrecida da sociedade e se mostrar como uma porta de saída. "Todo o País tem discutido esse tema e, certamente, os nossos instrumentos de políticas públicas precisam contribuir nesse processo", afirmou o secretário, que lembrou ainda a importância de cada parceiro encontrar seu papel.

Ecologização do Pronaf

"Estamos diante de uma grande oportunidade para dar ênfase à responsabilidade ambiental", disse o secretário. Segundo ele, existem grandes instrumentos para isso, a partir do processo de ecologização dos instrumentos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Políticas setoriais

Segundo Peraci, é preciso pensar em políticas setoriais, uma vez que existe hoje um bom ambiente, não só para criar, mas também para ajustar os instrumentos existentes, com foco na agricultura familiar. Trata-se do conceito de cadeias produtivas - como no caso do leite, onde o processo já está bem avançado -, levando em conta os fatores pesquisa, extensão rural, mercado, renda e crédito.

Segurança alimentar

Para a SAF, as estratégias de desenvolvimento rural sustentável devem priorizar a continuidade e o aumento crescente da oferta de alimentos de boa qualidade. "É preciso ser criativo, mas com responsabilidade", afirmou o secretário. O desenvolvimento sustentável requer, ao mesmo tempo, instrumentos que estimulem a produção sustentável, a distribuição e o consumo de alimentos no sentido de atender ao direito à alimentação de toda a população, respeitando as diferenças culturais do povo brasileiro.

Peraci finalizou reafirmando o compromisso de um diálogo constante com as instituições de ATER.