Identifique os sintomas do animal eletrocutado Brasília, DF

Saiba como agir se o seu animal de estimação sofrer um choque elétrico. O veterinário Gerson Bertoni explica como socorrer a vítima. Ele também orienta os procedimentos emergenciais na situação de choque anafilático, causado por picadas de insetos ou aranhas.

canil macedo
61 33392898 61 98184999
shis conj 28 casa 35
brasilia, DF
 
Clínica Veterinária Lobo
(61) 563-8341
r Qnb, 5, cs 2
Brasília, DF
 
Dogs Com e Assist Agropecuária Ltda
(61) 274-4989
r Scrn, 714, bl a lj 6
Brasília, DF
 
Clínica Dra Ilce Dogs e Mitzi
(61) 274-4989
r Scrn, 714, bl a lj 6, Asa Norte
Brasília, DF
 
Art Dog Consultório e Laboratório Veterinário
(61) 349-9913
r Shcgn Clr, 714, bl f lj 16, Asa Norte
Brasília, DF
 
Casa do Gato CLínica Veterinária
(61) 3965-4090
CLN 105, Bloco A, Loja 42
Brasília, DF
 
Anjos e Arcaojos Consultório Veterinário
(61) 447-2326
r Scln, 215, bl b lj t 67, Asa Norte
Brasília, DF
 
Wilmar C Franca
(61) 581-7551
r Qnm, 1, lot 1 cj a lj 1
Brasília, DF
 
Consultório Veterinário Pet Shop Judas Tadeu
(61) 273-1940
r Cln, 310, bl c lj 32, Asa Norte
Brasília, DF
 
Clínica Equina
(61) 245-6925
r Sais, 12
Brasília, DF
 

Identifique os sintomas do animal eletrocutado

Editoria: Vininha F. Carvalho2/2/2007

Os choques representam uma grande ameaça á vida do animal

Independente da causa especifica, o choque é a emergência com o qual podemos nos deparar com maior probabilidade e constitui uma grande ameaça à vida do animal.

Em todas as emergências, deve-se considerar sempre os sinais de choque, porque indica a gravidade do caso em questão. Sempre num momento de choque é fundamental manter a calma.

Os sinais de choque são os seguintes:

- Gengivas descoradas ou brancas.

- Freqüência cardíaca rápida (nos cães, superior a 150 batimentos por minuto e nos gatos superior a 250 batimentos por minuto).

- Freqüência respiratória acelerada (mais de 30 movimentos por minuto no caso dos cães e nos gatos respiração com mais de 40 movimentos por minuto).

- Inquietação ou ansiedade.

- Letargia ou fraqueza.

- Temperatura corporal abaixo do normal (verifique a temperatura corporal tocando o animal e observando se está mais frio do que o normal).

Providências para minimizar os efeitos do choque:

- Deite o animal de lado com a cabeça estendida.

- Erga a parte traseira do animal usando travesseiro ou toalha.

- Estanque qualquer hemorragia evidente fazendo pressão com uma compressa absorvente ou se necessário aplicando um torniquete.

- Evite a perda de calor corporal cobrindo o animal com cobertor aquecido.

- Importante: Não ofereça nada para beber ou comer.

- Não permita que o animal fique perambulando, mantenha-o confinado.

- Leve o animal ao veterinário mais próximo, urgentemente. Se o animal estiver em choque profundo, mantenha o animal deitado com os membros acima do nível do coração.

Choque anafilático:

O choque anafilático é causado principalmente por picadas de insetos ou aranhas, medicamentos e às vezes até por alimentos. Difere do choque anterior porque o animal pode apresentar um quadro destes somente após uma causa específica como por exemplo: picada de inseto ou aranha, ingestão de um medicamento (oral ou injetável) ou produto químico.

Os sintomas característicos que o animal pode apresentar são os seguintes:

- vômitos e/ou diarréia repentinos

- dificuldade respiratória

- erupções na pele,

- sinais de choque (como descrito anteriormente) e até óbito dependendo do caso.

Tome as seguintes medidas:

- Mantenha as vias aéreas desimpedidas.

- Se necessário faça respiração artificial e massagem cardíaca caso ocorra parada cárdio-respiratória.

- Se perceber que existe líquido nas vias respiratórias (quando animal respira percebe-se sons de material atrapalhando a passagem do ar), levante o animal pelos membros posteriores para tentar, por gravidade, que as vias aéreas fiquem desimpedidas.

- Procure o veterinário urgentemente, para a utilização de medicamentos e procedimentos que interrompam a ação dos sintomas alérgicos.

Fonte: Dr. Gerson Bertoni Giuntini - Biólogo, Engenheiro Agrônomo e Veterinário
Fonte Link: http://www.policlinicaveterinaria.com.br

Clique aqui para ler este artigo na Animalivre