Malware se disfarça de extensão para Firefox e rouba senhas de bancos Crato, Ceará

Pesquisadores da BitDefender descobriram um novo tipo de malware que rouba senhas de sites de bancos e atinge apenas usuários do navegador Firefox. O programa malicioso foi batizado de Trojan. Veja mais no artigo abaixo.

Savio HC Sales
(88) 523-2769
r Tristão Gonçalves, 446, Centro
Crato, Ceará
 
Maria Ed Silva
(88) 521-1252
av Padre Cicero, 1018, São Miguel
Crato, Ceará
 
Clínica de Beleza e Estética Mulher Cheirosa
(85) 244-0129
r Henriqueta Galeno, 596, Dionisio Torres
Fortaleza, Ceará
 
Raimunda LC Hido
(85) 421-2281
r CEL Alexandrino, 663, Araçati
Aracati, Ceará
 
Ana C Oliveira
(85) 295-6140
r 1 Abril, 170
Fortaleza, Ceará
 
Alex T Araújo
(88) 523-2300
r Bárbara de Alencar, 803, sl 3, Centro
Crato, Ceará
 
Alzenir AF Alves
(88) 521-3546
r José de Alencar, 41, Centro
Crato, Ceará
 
Tecner Tecnologia Educacional
(85) 261-7194
r João Carvalho, 800, sl 1007, Aldeota
Fortaleza, Ceará
 
Silvania Cabeleireiro
(85) 494-3490
r Samuel Uchoa, 842, Bom Futuro
Fortaleza, Ceará
 
Raimunda Cabeleireira
(85) 238-7472
r Guilherme Rocha, 1650, bl b sl 6, Centro
Fortaleza, Ceará
 

Malware se disfarça de extensão para Firefox e rouba senhas de bancos

Pesquisadores da BitDefender descobriram um novo tipo de malware que rouba senhas de sites de bancos e atinge apenas usuários do navegador Firefox.O programa malicioso foi batizado de Trojan.PWS.ChromeInject.A e fica localizado na pasta de “Complementos” (ou “Add-ons”) do navegador da Mozilla.

O aplicativo é executado toda vez que o Firefox é executado. Segundo a BitDefender, um código em JavaScript consegue identificar mais de 100 sites financeiros, incluindo o Barclays, Wachovia, Bank of America e PayPal, além de bancos italianos e espanhóis. Ele coleta as informações e envia para um servidor na Rússia.

O malware fica disfarçado com o nome de Greasemonkey, um complemento que, normalmente, adiciona funcionalidades extras às páginas HTML exibidas pelo navegador. Os programas da BitDefender já estão aptos a detectar e remover o aplicativo malicioso e outras empresas devem fazer o mesmo em breve, afirmou a empresa.

Outra maneira de não ser contaminado pelo malware é evitar baixar complementos de sites que não sejam certificados pela Mozilla. A popularidade do Firefox, que vem sendo cada vez mais usado desde seu lançamento, quatro anos atrás, faz com que o navegador se torne alvo de hackers e desenvolvedores de vírus, avaliaram os pesquisadores da companhia.

Fonte: IDG Now

Clique aqui para ler este artigo na Techlider