Psicólogos Infantis Araçatuba, São Paulo

Encontre Psicólogos Infantis em Araçatuba. Aproveite para saber mais sobre o assunto lendo nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes sobre o mesmo.

CONTROLANDO A ANSIEDADE COM SABEDORIA
(19) 3016-7358
presidente vargas 1559
indaiatuba, São Paulo
 
Ana Corina Castilho de Almeida
(12) 3941-2957
av João,S, 1100, Jd Esplanada
São José dos Campos, São Paulo

Dados Divulgados por
Paulino José de Mendonça
(11) 4994-0830
r Gonçalo Fernandes, 153, Cj 31, Jd Bela Vista
Santo André, São Paulo

Dados Divulgados por
Marisa Ergoni dos Santos
(12) 3941-7212
r Afonso César de Siqueira, 209, Vl Adyana
São José dos Campos, São Paulo

Dados Divulgados por
Clínica de Psicologia Temenos
(11) 5563-0081
r Cafezais, 323, Vl Sta Catarina
São Paulo, São Paulo

Dados Divulgados por
MEI - Desenvolvimento Humano
(11) 9723-0667
R Exp Basilio Zechin Jr, 104
Braganca Paulista, São Paulo
 
Integrare
3421-7785
Av. dom José Gaspar,614 Jardim Haydee
Mauá, São Paulo
 
Mariana Buchalla (psicologa cognitiva-comportamental)
(18) 3222-2955
Av. Washington Luiz, 1249
Presidente Prudente, São Paulo
 
Terapia Viver Bem
(11) 8302-2001
Vl Liberdade
Jundiaí, São Paulo
 
Espaço do Yôga
1291921133 ou 1288816522
av. wellington silva, 52, Village Santana
guaratinguetá - sp, São Paulo
 
Dados Divulgados por

Psicólogos Infantis

Fornecido por:

A., oito anos, é um garoto como tantos outros. Vai à escola, vê desenho animado, gosta de brincar... Tudo como qualquer outro. Mas por que os meninos da escola de A. implicam e agridem o garoto? Porque as pessoas cochicham quando o vêem? A. tem somente um ponto que o diferencia das outras crianças: Ele tem gestos e voz semelhantes às das meninas. E os que o agridem estão, sem saber, praticando homofobia.

Afirmar que A. vai se tornar um adulto homossexual é impossível. Mas, segundo o psicólogo e sexólogo Carlos Boechat, o fato das pessoas, seja os colegas da escola, professores ou até os próprios pais, o tratarem com agressividade é motivado por uma suposição da sexualidade da criança, o que leva a uma repreensão motivada por homofobia. A sociedade é homofóbica. O pai tem medo do filho se tornar homossexual , explica o sexólogo.

S.L., 32 anos, mãe da A., que prefere não se identificar em favor da criança,


...

Clique aqui para ler este artigo no Minha Vida