Obstetras de animais Rio Branco, Acre

Conheça as orientações para evitar problemas durante o parto do seu animal de estimação. O veterinário Gerson Bertoni explica como cuidar da mãe e dos filhotes. Ele também descreve situações comuns que podem acontecer com gatos e cachorros no pós-parto.

Pet Shopp Ltda
(68) 3223-3026
r Terra, 60, Adalberto Aragão
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
R. F. C. Dutra
(68) 3224-4784
r Seis de Agosto, 872, Seis de Agosto
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Sales & Silva Clinica Veterinaria Ltda
(68) 3223-3536
r Aviário, 918, Aviário
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Agroeste
(68) 3221-0955
r Via Chico Mendes 1114 Triangulo Velho
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
J. M. de Souza Junior Me
(68) 3223-2479
r Francisco Mangabeira, 285, Bosque
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
G L Silva - Me
(68) 2240-2998
r Sergipe, 174, Cerâmica
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Emporio Animal Ltda
(68) 3223-8847
r Floriano Peixoto, 815, Lj B, Centro
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
S. Gomes de Oliveira Me
(68) 3222-7272
r Quintino Bocaiúva, 407, Centro
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Luis Marcelo H.garrido (me
(68) 3224-3090
r Aviário, 499, Aviário
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Consultorio Veterinario Pet Horse
(68) 3224-3595
r Rio De Janeiro 742 Rio Branco
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Obstetras de animais

Editoria: Vininha F. Carvalho4/7/2006

Orientações importantes sobre como proceder na hora do parto.

Várias são as causas que podem levar uma fêmea a ter problemas no parto. Existem causas mecânicas, quando o filhote é muito grande ou o canal de passagem muito estreito, causas raciais, pois algumas raças têm maior propensão a ter parto distócico (parto difícil), condições de saúde da mãe, traumas durante a gestação e até causas emocionais também podem estar envolvidas.

Se o filhote pode ser observado através do canal da mãe:

- Normalmente o filhote vem de frente mas as vezes pode vir de costas. Em todo caso, com auxilio de uma toalha puxe-o cuidadosamente aproveitando as contrações da mãe.
- Se não conseguir retirar o filhote procure um veterinário.

Se a mãe não se interessar pelo recém nascido:

- Remova as membranas (inclusive a placenta) que envolvem o filhote, limpe cuidadosamente a cara e principalmente as narinas para que ele respire e enxugue-o numa toalha seca e felpuda para massagear o corpo.
- Amarre com fio dental e corte o cordão umbilical que se prende às membranas uns 2,5 cm do abdômen (cortar abaixo do local amarrado).
- Coloque o filhote e as membranas junto da mãe para que ela comece a lambê-lo e ao ingerir a placenta ocorre uma indução a que o parto continue normalmente.
- Se o filhote não respirar balance-o de cima para baixo, segurando com ambas as mãos e a cabeça do filhote voltada para baixo, para que elimine através das narinas os líquidos que possa ter respirado. Abra a boca e enxugue o que expelir e volte a fazer o mesmo movimento ate que a respiração ocorra normalmente.

Orientações gerais:

- Somente transporte a mãe se houver extrema necessidade. Um parto normal pode ser prejudicado com um transporte desnecessário. Ligue para um veterinário para tirar qualquer duvida.
- Procure deixar a mãe o mais tranqüila e confortável possível, separada de outros animais e mesmo de estranhos.
- Geralmente um parto que foi bem sucedido provoca na mãe um bem estar geral em que ela, principalmente nas primeiras horas somente se interesse pelos filhotes. Caso ainda reste algum filhote para nascer, a mãe costuma ficar ainda ansiosa e não se incomoda muito pelos filhotes que já nasceram. Neste caso procure um veterinário para avaliação e exames.

Pós-parto

Vários são os problemas pós-parto, tanto para a mãe como para os filhotes. Tanto a mãe como os filhotes, nesta fase da vida, estão mais sujeitos a infecções, portanto todo cuidado é pouco, sendo assim a inspeção constante e higiene fundamentais. Pode ocorrer também da mãe ser inexperiente ou mais negligente e não cuidar bem dos filhotes, principalmente se for daqueles animais amedrontados.

No caso das gatas, ocorre o risco de abandono, caso seja uma fêmea com características maternas ruins. Em algumas raças de cães (principalmente as raças pequenas) e raramente nos gatos, pode haver um problema na mãe denominado hipocalcemia ou eclâmpsia, em que a redução de Cálcio do organismo produz tremores, tonturas e até convulsões. Caso não seja levado urgentemente a um veterinário este animal o quadro será fatal.

Fonte: Dr. Gerson Bertoni Giuntini - Biólogo, Engenheiro Agrônomo e Veterinário
Fonte Link: http://www.policlinicaveterinaria.com.br

Clique aqui para ler este artigo na Animalivre