Saiba como prevenir a obesidade infantil Cuiabá, Mato Grosso

Esteja alerta ao peso do bebê ou da criança. O excesso pode causar problemas de saúde. "Um adolescente obeso terá entre 70% e 80% de probabilidade de ser um adulto gordo", alerta o pediatra Nataniel Viuniski. Confira as dicas para equilibrar a alimentação do seu filho e garantir um futuro saudável.

Carlos Alberto A Maranhao
Av 31 - de Marco 889
Cuiaba, Mato Grosso
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Jubert Sanches Cibantos Filho
(65) 3623-4023
Rua General Neves 111
Cuiaba, Mato Grosso
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Draúzio Antônio Medeiros
(65) 3624-3713
av Isaac Póvoas, 1124
Cuiabá, Mato Grosso

Dados Divulgados por
AR Distribuidora de Medicamentos e Produtos Hospitalares Ltda
(65) 3634-3637
av Pedro Pedrossiam,Gov, 388, Campo Velho
Cuiabá, Mato Grosso

Dados Divulgados por
Med K Prod e Serv Médico Hospital e Laboratorial
(65) 3626-3997
av José Rodrigues do Prado, 252 Santa Rosa
Cuiabá, Mato Grosso

Dados Divulgados por
Magno Stefani Cezar
Av. Presidente Marques 437
Cuiaba, Mato Grosso
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Henrique S Laboissiere
(65) 3623-2079
av das Flores, 843 s 34 Jardim Cuiabá
Cuiabá, Mato Grosso

Dados Divulgados por
Dulciyara Lopes, Drª
(65) 3023-9001
Tv Léo Edilberto Griggi, 75 Goiabeiras
Cuiabá, Mato Grosso

Dados Divulgados por
Tiago, José S
(65) 3623-5986
r Cândido Mariano, 990 Quilombo
Cuiabá, Mato Grosso

Dados Divulgados por
Clínica Magno Cézar
(65) 3623-5122
av Pres Marques, 441 Santa Helena-Quilombo
Cuiabá, Mato Grosso

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Saiba como prevenir a obesidade infantil

Foi-se o tempo em que crianças fofinhas e rechonchudas eram sinônimo de saúde. Cada vez mais preocupados com o excesso de peso e obesidade entre os baixinhos, os especialistas afirmam que os mimos e elogios de hoje podem se tornar a preocupação de amanhã.

Pior ainda se os quilos teimam em permanecer na idade adulta. Para o pediatra e nutrólogo Nataniel Viuniski, de Caxias do Sul (RS), especialista em Obesidade Infantil e membro da Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade), uma criança gorda de dois anos tem o dobro de chances de crescer com o problema. “Com o passar dos anos, as possibilidades só tendem a aumentar. Um adolescente obeso, por exemplo, terá entre 70% e 80% de probabilidade de ser um adulto gordo. Por essa razão, quanto antes o mal for atacado, melhor”, enfatiza Nataniel.

Onze dicas que previnem esse malbebê sorrindo

1- Estenda ao máximo o período de aleitamento materno. Isso reduz o risco de obesidade por vários anos.

2- Ensine a criança a comer frutas, verduras e legumes. Mas dê o exemplo. De nada adianta tentar incutir neles o gosto por hotaliças, se ao pais não cultivam o hábito de come-las com prazer. “Eles devem servir de modelo”, orienta Léa Diamant.

3- Acostume os pequenos a fazer todas as refeições à mesa e nas horas certas e mantenha essa rotina.

4- Evite estocar guloseimas e refrigerantes em casa. A garotada não sabe resistir às tentações.

5- Não ofereça doces como prêmio por bom comportamento. Mas aceite negociações. “Se ela quer comer uma sobremesa calórica, diga que se comer a salada e os legumes durante a semana, vai ganhar uma fatia do pudim após o almoço de domingo”, sugere Léa.

6- Durante as refeições, não force a criança a comer. Se ela parou, parou.

7- Não mande salgadinhos industrializados, refrigerantes ou chocolates na lancheira. Opte por alimentos saudáveis: uma fruta e um pote de iogurte ou um sanduíche com um suco.

8- Invente programas que envolvam atividade física, de preferência ao ar livre. “Os pais devem estimular os filhos a jogar bola, brincar de esconde-esconde no prédio ou no quintal de casa. Na medida do possível, leva-los para caminhadas perto de casa ou a parques públicos, andar de bicicleta juntos”, lembra Nataniel Viuniski. “Só o fato de levar e buscar a criança a pé na escola, já auxilia na queima de gordura”, diz o médico.

9- Evite o mau exemplo. Nunca tome um refrigerante de 2 litros e proíba a bebida para a criança. Não esqueça que esse é um problema de família e não do seu filho. A mudança de hábitos alimentares deve servir para todos.

10- Não restrinja um tipo de alimento, mas sim a quantidade dele. Ou seja: não diga que ela nunca mais vai poder comer biscoito recheado. Vez ou outra, ofereça-lhe um ou dois biscoitos, informando-a que, como faz mal, é melhor não exagerar”, indica Silvana Martani.

11- Não espere a criança se tornar obesa, para procurar o médico. A qualquer sinal de sobrepeso, busque o pediatra para fazer uma investigação sobre sua saúde.

[Abeso]

Clique aqui para ler este artigo na Melhor Amiga