Saiba tudo sobre Ebook Rio Branco, Acre

Atualmente os leitores do século XX, sem noção do conceito do livro eletrônico, estão agora sendo gradualmente expostos a este fenômeno eletrônico. Viajantes lêem livros eletrônicos em laptops, computadores de mão ou telefones celulares.

Nova Comercial Elétrica
(68) 3223-5053
r Rubens Carneiro, 47, Abrahão Alab
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Kennedy Eletricista
(68) 322-9505
r Pinheiros ,352, Quadra 46,casa19 ,Cj Universitario
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Chagas Assitencia Eletrica Hidraulica
(68) 3227-9002
tv Raimundo Melo,20 Quadra 04 Conjunto Esperança
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Sol Engenharia e Serviços De Eletricidades
(68) 3227-1572
r Felicidade, 63 ,c25 Rio Branco
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Gloria Cardoso
(68) 3224-4237
tv Capitana,40,Centro
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Ferraz & Moraes Ltda
(68) 3227-8257
av Nações Unidas, 1507, Sl 102, Izaura Parente
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Gr Eletrico
(68) 3026-4943
rod Br 364, 7835 Distrito Industrial
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Raimundo Eletricista
(68) 9998-0692
tv Jose Barbosa, 18 Vila da Amizade
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
James Eletricista
(68) 9281-1700
r Alvaro Cezar, 220, João Eduardo II
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Elienes Eletricista
(68) 9975-6561
r Da Laranja, 867,Mocinha Magalhaes
Rio Branco, Acre

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Saiba tudo sobre Ebook

O livro eletrônico (ebook) é apresentado em formato digital de qualquer livro convencional impresso que possa ser lido através de um computador pessoal ou através de um dispositivo de hardware chamado leitor de livro. O início desta idéia inovadora data de 1971 quando o pioneiro Michael Hart, nos Estados Unidos, decidiu criar com o armazenamento em computador, a recuperação e a exploração dos textos disponíveis nas bibliotecas. Isto resultou na origem do primeiro livro eletrônica, uma cópia da `declaração de Independência` que mais tarde evoluiu no `Projeto Gutenberg`. Hoje contém mais de 20.000 textos livres e mais de 100.000 livros.

Cada mês é feita a transferência de mais de 3.000.000 de livros. Finalmente isto alcançou proporções gigantescas com os livros eletrônicos inundando a web por causa da sua facilidade de armazenamento em um disco ou disco rígido.

Inicialmente os livros eletrônicos eram restritos a tópicos relacionados com documentos, manuais técnicos ou artigos de técnicas de fabricação com ferramentas de ponta. Tais livros não criaram muito impacto no mercado porque não havia nenhum consenso no empacotamento, na venda ou na leitura. Um número de diversas especificações apoiadas pelas principais empresas de software ou por programadores independentes proliferou e abasteceu os leitores com múltiplos formatos conduzindo a uma fragmentação adicional do mercado. Nesta fase o livro eletrônico não era um artigo de grande impacto.

Isto, entretanto, não impediu o livro eletrônico de espalhar seu domínio. Penetrou nos mercados subterrâneos onde os editores de livros eletrônicos distribuíam livros que ainda não estavam disponíveis no mercado. Também os autores cujos livros não encontraram nenhuma editora para publicá-los, começaram a oferecer seus livros on-line de modo que os visitantes pudessem ser expostos à literatura. Até mesmo catálogos não autorizados e não oficiais estavam disponíveis em vários web sites. E desse modo os livros começaram a circular on-line. As novelas românticas foram os primeiros livros eletrônicos bem sucedidos porque abasteceram uma grande clientela que os comprasse on-line e apreciasse o fato de poder ler em privacidade.

Estes incidentes chamaram a atenção dos principais editores. Em meados de Junho de 2001, os editores aclamados começaram a investir neste meio e tentaram tiram vantagem dos formatos do livro eletrônico. Isto fez com que os editores criassem lojas on-line em parceria com os fabricantes dos livros eletrônicos. Hoje, os fabricantes de hardware eletrônico estão também trabalhando com leitores do livro eletrônico para capitalizar no mercado do livro eletrônico.

Esta escalada de atividades pelos renomados editores, pelas companhias eletrônicas e pelos operadores independentes conduziu ao desenvolvimento de modelos de novas vendas. Simultaneamente, um formato mais simples e mais homogêneo com melhor ferramenta de leitura foi criado para conseguir uma distribuição global para livros eletrônicos. Isto desencadeou o surgimento de novas editoras. Hoje, os fabricantes de produtos eletrônicos estão cortejando os leitores do livro eletrônico com novos projetos enquanto os engenheiros de software estão desenvolvendo um novo aplicativo de leitura para uso de equipamentos eletrônicos portáteis que vai desde os computadores de mão, aos telefones inteligentes e até aos consoles de jogos.

Os leitores do século 20, sem noção do conceito do livro eletrônico, estão agora sendo gradualmente expostos a este fenômeno eletrônico. Viajantes lêem livros eletrônicos em laptops, computadores de mão ou telefones celulares. Tal é a mania dos livros eletrônicos no Japão que as novelas do telefone móvel evoluíram onde os livros poderiam ser transferidos e lidos na tela do telefone celular. As vendas que eram insignificantes alguns anos atrás, ultrapassou 10 bilhões de ienes anualmente (The Economist). Atualmente os consumidores podem facilmente acessar livros de sua escolha que varia desde os mais vendidos até livros de novos autores de acordo com a sua preferência de leitura.

A leitura feita por meio de livros eletrônicos é mais vantajosa porque economiza no espaço ocupado por um livro comum. Um CD/DVD pode armazenar aproximadamente 500 livros eletrônicos e nunca faltam cópias, o que é uma ocorrência comum em livros convencionais. Para os pesquisadores as versões digitais são ideais porque mostram excelentes escolhas de formatos permitindo referências rápidas. Os leitores podem ajustar convenientemente a sua leitura escolhendo as fontes e tamanhos de textos e luminosidade que permita uma visibilidade adequada em um ambiente com pouca luz. Diferente dos livros convencionais, os livros eletrônicos não precisam ser colocados na mão, podem ser reproduzidos com pouco custo e geralmente são baratos porque não usam o papel, a tinta e outros recursos usados na impressão convencional.

A desvantagem básica do livro eletrônico é que exige dispositivos eletrônicos para a sua exposição. O software pode não ser prontamente disponível ou gratuito ou compatível com a configuração existente do computador. A falha repentina do disco rígido ou a falta de energia podem causar interrupções indesejáveis. Os suportes de memória dos livros eletrônicos são frágeis, os dispositivos são caros e a substituição pode ser proibitiva. Finalmente, e particularmente para alguns editores, hacking é um perigo constante.

Este artigo também pode ser acessado a partir da página www.polomercantil.com.br/livros.php

Sobre o Autor
Roberto Sedycias trabalha como consultor de informática para www.polomercantil.com.br

Artigos.com