Um Código de Ética para Sócios e Parentes na Empresa Familiar Barbacena, Minas Gerais

O objetivo deste artigo é auxiliar sócios e parentes na administração de empresa familiar.Este "código de ética" analisa todos os requisitos indispensáveis para uma gestão harmoniosa e bem sucedida.

Crh Gerencia de Negocios Limitada
(31) 3477-9490
r Ipaussu, 49, Vl Pérola
Contagem, Minas Gerais

Dados Divulgados por
Hidropura Gestao Ambiental Ltda
(34) 3231-4600
r Benjamim Alves Santos, 1878, Sl 2, Vl Saraiva
Uberlandia, Minas Gerais

Dados Divulgados por
UP TRAINING BRASIL
(32) 4141-2656
Rua Professora carolina Coelho
Juiz de Fora, Minas Gerais
 
www,williamconsultoria.com.br
(31) 3043-7488
rua deputado claudio pinheiro lima 601 lj 14
belo horizonte, Minas Gerais
 
Gat Gestao Ambiental Ltda
(34) 3219-2870
r Nicomedes Alves dos Santos, 348, General Osório
Uberlandia, Minas Gerais

Dados Divulgados por
Íntegra Soluções Empresariais Ltda
(35) 8414-9149
Av Antônio Januário 124 Belo Horizonte
Pouso Alegre, Minas Gerais
 
Mauricio de Castro Silva Consultoria, Assessoria e Servicos Administrativos Ltda
(31) 3398-8315
r Francisco Cipriano, 14, Alvorada
Contagem, Minas Gerais

Dados Divulgados por
Amando Prates e Ivan Duque Assessoria e Consultoria Ltda
(31) 3292-0356
r Ten Brito Melo, 433 sl 804, Barro Preto
Belo Horizonte, Minas Gerais

Dados Divulgados por
fundaçao educacional profissionalizante e empresarial
(31) 9132-3951
av. albert scharle n 1139-Paciencia
sabara, Minas Gerais
 
BH Consultoria e Auditoria
(31) 3271-7093
r Guajajaras, 880 sl 1608, Centro
Belo Horizonte, Minas Gerais

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Um Código de Ética para Sócios e Parentes na Empresa Familiar

a) COMPROMISSO COM A CONTINUIDADE DA EMPRESA: respeitar a integridade da Empresa e zelar para que ela supere as suas crises, especialmente quando a família se encontra numa encruzilhada;

b) PRIORIDADE DO INTERESSE DA EMPRESA SOBRE O INTERESSE PESSOAL: colocar a Empresa em primeiro lugar sobre a Família e os interesses individuais. Priorizar o trabalho sobre o conforto, o coletivo sobre o individual.

c) HARMONIA E UNIAO DA FAMILIA: procurar continuamente investir nas forças que mantêm a Família unida. Desavenças passadas entre dirigentes das famílias não devem continuar na geração atual;

d) BOAS RELAÇÕES HUMANAS DENTRO DA FAMÍLIA: procurar praticar a sinceridade, a justiça, o respeito humano, o consenso, a capacidade de ouvir e de harmonizar;

e) COMPROMETIMENTO COM A EXCELÊNCIA: elevar constantemente o nível do desempenho pessoal e coletivo em benefício do grupo familiar. Colaborar para que a Empresa esteja sempre voltada para a Excelência de desempenho;

f) NÃO INGERÊNCIA NA LINHA HIERÁRQUICA: evitar ordens ou sugestões a funcionários subordinados a outros chefes, a fim de manter sempre respeito pela cadeia do comando;

g) IDENTIFICAR E REFORÇAR OS VALORES DA FAMÍLIA: procurar os traços positivos da cultura da Família e construir sobre eles. Exemplo: determinação, disciplina, criatividade, atualização, trabalho, sentido de equipe, honestidade, sinceridade, objetividade, racionalidade, etc.;

h) COMPROMISSO COM A PROFISSIONALIZAÇÃO: separar os direitos de acionista (a serem tratados em foro próprio) dos direitos e deveres dos administradores. Adotar um comportamento totalmente profissional dentro da Empresa. Respeitar e fazer respeitara autoridade e responsabilidade dos profissionais, procurando prestigiá los;

i) SABER LIDAR COM O COMPORTAMENTO POLITICO DAS PESSOAS: adotar uma postura esclarecida diante da política interna quanto a: boatos, favoritismo, articulações, feudos, defesa de território, interesses pessoais, intolerâncias, discriminações, preconceitos, busca de bodes expiatórios, perseguições, resistência a mudanças, tentativas de desestabilização de pessoas;

j) MANTER UM CLIMA DE RESPEITO E ORGULHO PROFISSIONAL E FAMILIAR: manter um clima positivo, reforçando os pontos fortes das pessoas e da organização e deixando as críticas para momentos e foros apropriados. Evitar a maledicência: não falar mal de membros da Família e da administração, principalmente junto a terceiros ou fora da Empresa. Não levar para reuniões as discussões ou desavenças que possam ser resolvidas a dois;

k) ÉTICA DO DINHEIRO: tomar especial cuidado ao lidar com dinheiro e valores patrimoniais da sociedade. Atenção especial para com: reembolso de despesas pessoais, retiradas e adiantamentos, despesas de viagem, compras para uso pessoal;

l) RESPEITO PELO SER HUMANO E ATITUDE CONTRA PRECONCEITOS: colocar se contra qualquer forma de discriminação social, racial, religiosa ou política, procurando colocar a Justiça Social acima de qualquer preconceito.

Alguns subsídios para um código de ética

a) DESPESAS DE VIAGEM E VERBAS DE REPRESENTAÇÃO: evitar o abuso de despesas de viagens, hotéis, despesas com acompanhantes, mesmo a serviço da companhia.Procurar um estrito enquadramento nas normas da Empresa. Havendo vários graus ou categorias de despesas, evitar enquadrar se em categoria superior ao próprio cargo;

b) DESPESAS PESSOAIS: despesas de interesse pessoal não autorizadas ou fora das normas não podem ser transferidas para o Caixa, da Empresa. Notas fiscais ou avisos de pagamento não podem ser endereçados para a Tesouraria. Fornecedores não podem procurar funcionários da Empresa para acertos de despesas pessoais de familiares. A documentação dos serviços autorizados deve estar correta e sem rasuras;

c) NEGÓCIOS PESSOAIS DENTRO DO ESCRITÓRIO DA EMPRESA: evitar a realização de negócios pessoais no escritório da companhia durante o horário de expediente. Exemplo: compra de matérias primas ou insumos para empresas particulares. Outro exemplo: desvio de equipamentos ou bens de produção da companhia para a prestação de serviços particulares nas residências ou nas empresas pessoais dos sócios. Exemplo: seguranças, garçons, pessoal da manutenção doméstica;

d) USO DE CRÉDITO PESSOAL OU HORÁRIO DA EMPRESA: evitar a compra ou venda de bens pessoais usando crédito pessoal ou horário da companhia. Evitar sair em horários de expedientes para atender a interesses pessoais sem expressa autorização. Evitar realizar negócios pessoais com funcionários da Empresa, usando o "status" de membro da Família;

e) VIAGENS A SERVIÇO PARTICULAR: não permitir a coincidência de negócios pessoais quando viajando a serviço da companhia para outras capitais do país ou do exterior. Evitar simular viagens para atender a interesse pessoal;

f) SITUAÇÃO DE FORNECEDOR OU CLIENTE DA EMPRESA: suspender definitivamente qualquer transação comercial entre o sócio e suas empresas particulares com a companhia seja de fornecimento, de distribuição, de compra ou de venda. As que forem de interesse da sociedade deverão ser aprovadas em reunião de diretoria, onde o sócio interessado não deverá votar. Evitar ser fornecedor ou cliente da empresa sem especial autorização. Evitar colocar outros familiares de fora da Empresa na situação de fornecedor ou cliente;

g) SITUAÇAO DE CONCORRENCIA: impedir qualquer atividade que favoreça o sócio e um concorrente seja através de participação societária particular, em firma concorrente, seja através de qualquer tipo de comissionamento por assessoria a terceiros que prestam serviço para a Empresa;

h) RECEBIMENTO DE COMISSÃO: o familiar não pode receber nenhuma comissão ou qualquer favorecimento de fornecedor ou cliente da sociedade ou em qualquer transação comercial a serviço da Empresa;

i) DIREITO DE PRIMEIRA RECUSA: negócios que chegam ao conhecimento de um dos sócios, diretores ou conselheiros, devem ser primeiro oferecidos à sociedade e só depois do desinteresse dos demais sócios podem ser assumidos particularmente;

j) BRINDES E CORTESIAS: mesmo aprovada a política de brindes e cortesias, a autorização deve envolver sempre dois diretores;

k) RESPEITO PELOS DIRIGENTES DA EMPRESA: manter o respeito pela imagem e autoridade do presidente e dos diretores. Não expressar opiniões negativas sobre os colegas de diretoria junto a funcionários ou a públicos externos. Controlar a origem de boatos depreciativos que se iniciam no interior da companhia. Controlar os "desabafos" pessoais;

l) QUEBRA DE HIERARQUIA: evitar dar ordens a funcionários que estejam subordinados a outros colegas de diretoria. Evitar semear desconfiança ou prejudicar a credibilidade dos colegas de diretoria. Respeitar a hierarquia;

m) SITUAÇÃO DE PORTA VOZ DA EMPRESA: cuidado na representação externa (junto a autoridades e associações de classe) para não ferir a suscetibilidade ou a autoridade dos colegas de diretoria. Especial cuidado nas entrevistas à imprensa, na divulgação de fotos ou informações pessoais que possam criar ressentimento nos sócios e parentes. Da mesma forma nos contatos com autoridades e nos acordos comerciais. Definir com clareza "quem fala" com cada público externo;

n) RESPEITO PARA COM A SOCIEDADE: transmitir aos parentes e sucessores diretos a mesma atitude de respeito para com a sociedade e para com os colegas do conselho e da diretoria. Ao constituir empresas para membros de sua família verificar a ausência de conflitos de interesse com a companhia;

o) COMPORTAMENTO PESSOAL DESABONADOR: o desempenho social e público do familiar repercute sobre a imagem da família e da empresa. O seu direito à individualidade tem limite no prejuízo que possa causar. Evitar comportamentos desviantes como uso de drogas, alcoolismo, agressões públicas, peculato, más companhias e comportamento sexual ofensivo aos costumes aceitos na comunidade. No caso de reincidência, o melhor é deixar qualquer vinculação com a empresa e mudar de local.

Podemos resumir seus conceitos centrais como duas lições da experiência, as quais aprendem com as próprias empresas, tanto com aquelas que estão se aproximando de suas metas como com outras que estão lutando para superar seus temores.

Sobre o Autor
•PhD em Administração de Empresas pela Flórida Christian University (EUA)
•PhD em Psicologia Clínica pela Flórida Christian University (EUA)
•Psicanalista e Diretora de Assessoria Geral da Sociedade de Psicanálise Transcendental.
•Mestre em Administração de Empresas pela USP.
•Especialista em Estratégias de Marketing em Turismo e Hotelaria pela USP, MBA em Gestão de Pessoas e Especialista em Informática Gerencial.
•Psicanalista voluntária na Casa de Apoio à Criança Carente com Câncer e na Universidade da Terceira Idade.
•Professora da FGV do Rio de Janeiro e de mais 03 universidades.
•Empresária no ramo moveleiro
•Responsável e Membro do Conselho Editorial da Revista Empresa Familiar.
•Coordenadora do grupo de Excelência de Empresa Familiar do Conselho Regional de Administração de São Paulo - CRA.
•Diretora da DS Consultoria S/S Ltda, especializada em Empresas Familiares.
•Conciliadora, Mediadora e Árbitra Empresarial.
•Membro do Conselho Editorial e responsável pela Revista Empresa Familiar.
•Autora do livro O Perfil do Empreendedor e co-autora do livro Empresa Familiar: Conflitos e Soluções, juntamente com Domingos Ricca, Roberto Gonzalez e José Bernardo Enéas Oliveira.
•Vários artigos publicados na área de Administração, Tecnologia da Informação e Psicanálise em revistas especializadas.

Artigos.com