Yoga - A receita da tranqüilidade Cuiabá, Mato Grosso

O presente artigo fala a respeio dos diversos tipos de yoga. A busca por uma mente quieta, um corpo forte e um coração tranqüilo faz com que cerca de 5 milhões de brasileiros pratiquem o Yôga, uma mistura de filosofia, técnicas de respiração, concentração e preparo físico. Saiba mais abaixo.

Jubert Sanches Cibantos Filho
(65) 3623-4023
Rua General Neves 111
Cuiaba, Mato Grosso
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Magno Stefani Cezar
Av. Presidente Marques 437
Cuiaba, Mato Grosso
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Maria do Socorro Dra. Cirurgiã Plástica
(65) 3623-8521
r Cmte Costa, 1496 Centro
Cuiabá, Mato Grosso

Dados Divulgados por
Med K Prod e Serv Médico Hospital e Laboratorial
(65) 3626-3997
av José Rodrigues do Prado, 252 Santa Rosa
Cuiabá, Mato Grosso

Dados Divulgados por
Dra Maria do Socorro Cirurgiã Plástico
(65) 3623-8521
r Cmte Costa, 1496 Revivere Centro Sul
Cuiabá, Mato Grosso

Dados Divulgados por
Carlos Alberto A Maranhao
Av 31 - de Marco 889
Cuiaba, Mato Grosso
Especialidade
Cirurgia Plástica

Dados Divulgados por
Clínica Magno Cézar
(65) 3623-5122
av Pres Marques, 441 Santa Helena-Quilombo
Cuiabá, Mato Grosso

Dados Divulgados por
Dulciyara Lopes, Drª
(65) 3023-9001
Tv Léo Edilberto Griggi, 75 Goiabeiras
Cuiabá, Mato Grosso

Dados Divulgados por
Tiago, José S
(65) 3623-5986
r Cândido Mariano, 990 Quilombo
Cuiabá, Mato Grosso

Dados Divulgados por
Draúzio Antônio Medeiros
(65) 3624-3713
av Isaac Póvoas, 1124
Cuiabá, Mato Grosso

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Yoga - A receita da tranqüilidade

A busca por uma mente quieta, um corpo forte e um coração tranqüilo faz com que cerca de 5 milhões de brasileiros pratiquem o Yôga, uma mistura de filosofia, técnicas de respiração, concentração e preparo físico. A atividade ancestral de origem indiana, conduz o praticante ao Samádhi, estado máximo de expansão da consciência do ser humano, por meio de exercícios de equilíbrio, auto-conhecimento e meditação. Atualmente, existem diversas linhas de pensamento da filosofia do Yôga. Cada uma propõe diferentes caminhos para alcançar um mesmo objetivo. Conhecendo cada uma delas é possível escolher o método mais adequado para você. “Eu adoro, me sinto mais leve e relaxada. Comecei por causa de uma amiga que praticava o Yôga Raja. Passei a me interessar cada vez mais até conhecer a Hatha, que é um pouquinho diferente. Me apaixonei”, conta a administradora Cecília Rezende, 46. “Todos deveriam experimentar! Vale a pena”, completa. Conheça 10 tipos diferentes de Yôga:

1) Ashtanga Vinyasa
O método exige a repetição de uma série de posturas, na maioria das vezes desagradáveis e dificies que exigem força e concentração. O objetivo é produzir calor no corpo, levando à sua purificação através da elevação da circulação e transpiração. Os passos indicados são basicamente oito: Yama (códigos morais), Niyama (purificação e estudo), Asana (postura), Pranayama (controle da respiração), Pratyahara (controle dos sentidos), Dgarana (concentração), Dhyana (meditação) e Samadhi (contemplação).

2) Bhakti
Conduz à comunhão através da devoção e busca o amor sem nenhum desejo de recompensa. A origem do nome vem de Bhaj, que significa ligado a Deus. O pratricante quer somente a Ele, sem expectavias egoístas.

3) Hatha
Uma das frentes mais conhecidas. É uma forma pré-clássica que valoriza muito a prática das purificações (Shat Karma), o despertar da energia potencial (Kundaliní), as técinicas de percepção do som interior (Nada), a absorção da realidade transcendental (Laya) e a iluminação (Samádhi). Baseado no fortalecimento físico, a Hatha tem como objetivo o alcance das forças masculinas e femininas, solares e lunares.

4) Iyengar
Fundamentado no Hatha Yoga, o método foi criado pelo indiano B.K.S. Iyengar para ser praticado por qualquer pessoa. Visando precisão, equilíbrio, harmonia e alinhamento, trabalha-se a postura integrando a mente e as emoções.

5) Jñana
Modalidade conhecida pela relação direta com o conhecimento. Prega uma verdade pré-existente e imutável para atingir a sabedoria plena. Diferente da técnica de Iyengar, apresenta restrições. Os praticantes, além da concentração, devem acreditar no poder dos sentidos como a única forma de percepção.

6) Karma
Baseada na dedicação das ações à divindidade, prepara o coração e a mente para receber a luz divina, conhecendo-se a si mesmo. Visa a liberação do medo, da ambição, desejo, raiva e egoísmo, exercitando qualidades como a aceitação da diversidade e a bondade.

7) Kriya
A técnica milenar de meditação, busca a auto-realização acima de tudo. Consiste em posições que estimulam o bem estar, a calma e o equilíbrio, mas nem por isso requerem silêncio absoluto. Uma ótima pedida para as mais agitadas.

8) Raja
Modalidade de oito etapas, proporciona o desenvolvimento e aprimoramento dos órgãos e até mesmo o controle total da mente. Utiliza do domínio das atividades mentais para o controle pleno do próprio corpo. Ideal para quem curte meditar.

9) Raja Vidya
Acredita na transmissão do conhecimento de Mestre a discípulo. Busca conduzir o praticante à iluminação da consciência, através da transmissão de energia. As posições estimulam o trabalho de respiração, relaxamento, concentração, purificação do organismo, dilatação da consciência, propiciando o autoconhecimento.

10) Swásthya
A mais antiga das frentes do Yôga e, talvez, a mais praticada. Sistematizada pelo mestre DeRose, que define a técnica como "metodologia estritamente prática que conduz ao Samádhi, um estado de hiperconsciência e megalucidez”. A Swásthya trabalha a auto-suficiência para que os praticantes alcancem bem estar, conforto e satisfação.

Afinal, Yôga tem acento?
Segundo a Universidade de Yôga, o acento está claramente indicado, uma vez que a letra ô no sânscrito é sempre longa e fechada. As transliterações ocidentais convencionaram que as letras longas devem ser assinaladas com o acento. Este pode variar de uma convenção para outra, mas o que se observa é que o circunflexo foi adotado por um renomado autor indiano que escreveu os aforismos do Yôga de Pátañjali, em inglês (Sri Purohit Swami), e também pelo célebre autor (Kastberger), que escreveu o Léxico de filosofia hindu, em castelhano. Ora, nenhuma das duas línguas possui o circunflexo e, apesar disso, ambos reconheceram a necessidade da sua presença na palavra Yôga.

Clique aqui para ler este artigo no Guia da Plastica